Tocando a bola – 22/04/2019

 

UFRN cancela aulas após pane elétrica e princípio de incêndio

 

Fonte: G1 RN

Um problema na rede elétrica fez a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, cancelar todas as aulas e atividades, inclusive as administrativas, que aconteceriam na instituição na tarde desta segunda-feira (22). A pane aconteceu por volta das 12h, o que deixou toda a universidade sem energia.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para atender um “princípio de incêndio” e conteve rapidamente o fogo, segundo informou a assessoria da corporação. Não houve nenhum ferido. Os bombeiros acreditam que o princípio de incêndio tenha acontecido por um curto circuito em parte do quadro elétrico da instituição.

Em nota, a UFRN informou que “a Superintendência de Infraestrutura (INFRA-UFRN) e a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) estão trabalhando para diagnosticar e solucionar a falta de energia”. A universidade informou, através da assessoria, que vai anunciar no final da tarde se haverá aulas no turno da noite. Ainda não há também informações sobre equipamentos danificados.

O assunto foi bem repercutido nas redes sociais por estudantes, bolsistas e funcionários da UFRN. A Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM), inclusive, se antecipou e informou que não abrirá também no turno da noite desta segunda-feira (22).

Confira a nota da UFRN

“A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) informa que as atividades acadêmicas e administrativas da instituição de ensino estão suspensas na tarde desta segunda-feira, 22, devido a problemas na rede elétrica. A Superintendência de Infraestrutura (INFRA-UFRN) e a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) estão trabalhando para diagnosticar e solucionar a falta de energia. Em breve, a Universidade fará novo comunicado a respeito da atividades do turno noturno”.

Clássico-rei da decisão do Estadual deve ter recorde de público

 

Foto: Lucas Buarque

Fonte: Portal no Ar

A decisão do Campeonato Potiguar 2019 deve ter o maior público para um clássico-rei entre ABC e América nas últimas duas décadas. Pelo menos é o que espera a diretoria do América, mandante da partida na Arena das Dunas. O confronto será nesta quarta-feira (24), às 21h30.

Até esta segunda-feira (22), dois dias antes do duelo, mais de 12 mil entradas foram comercializadas, segundo o Alvirrubro. A expectativa da diretoria americana é que o dia acabe com cerca de 17 mil ingressos vendidos.

Com direito a maior fatia da Arena das Dunas, a torcida do América já esgotou o setor Leste Inferior. A tendência é que os setores Sul e Leste Superior, ambos também exclusivos para os americanos, sejam esgotados até amanhã (23). Outro setor esgotado é o Premium, com espaço para as duas torcidas, segundo o clube rubro. “Essa é a tendência. Deve abrir também o setor Sudoeste”, afirmou Antônio Neto, responsável pelo marketing do Alvirrubro.

Pelo lado do ABC, cerca de 5,3 mil ingressos foram disponibilizados. A torcida abecedista já esgotou o setor Sul e as vendas para o setor Noroeste – superior e inferior – foram liberadas.

Recorde

Nas redes sociais, o América realiza uma campanha pela presença maciça dos torcedores na Arena das Dunas. O clube quer recorde de público e 30 mil espectadores nas arquibancadas, beirando a capacidade máxima da Arena das Dunas, que é de cerca de 31 mil.

No último dia 20 de fevereiro, na decisão do 1º turno do Estadual, América e ABC entraram no gramado da Arena diante de 18.739 torcedores, naquele foi o maior público do clássico-rei em 14 anos.

Caso se confirme os 30 mil, o clássico terá a maior presença de torcedores desde a vitória do ABC sobre o América por 2 a 0, no antigo Machadão, em 25 de abril de 1999, quando 26.615 pessoas foram ao estádio.

Até esta segunda-feira (22), os torcedores podem comprar as entradas com preços promocionais. No Leste (América) e no Noroeste (ABC), os bilhetes custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). No Sul (América), custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

A partir desta terça-feira (23) até a hora do jogo, os valores vão sofrer mudanças. No Sul, as entradas custarão R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). No Leste e no Noroeste, os torcedores pagarão R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

Locais de venda

Os ingressos estão à venda no site da Arena das Dunas – www.arenadunas.com.br – e pontos fixos – SportMaster (Midway, Cidade Jardim e Zona Norte), Gol Mania Store (Avenida Prudente de Moraes e Partage Norte Shopping), ERK (Tirol) e Sede do América (Tirol). No dia do jogo, a Bilheteria 2 do Portão L estará aberta a partir das 15h para a venda de ingressos do América e a bilheteria 1 Portão T para a torcida do ABC.

Acessos

Acessos Torcida América:

Setor Sul: Portões J, K e G
Setor Leste: Portões M, N, O P e Q
Portadores de Necessidade Especial: Portões Q e G

Acessos Torcida ABC:

Setor Norte: Portões S,T e A
Portadores de Necessidade Especial: Portão A

Acessos Cadeiras Premium:

Setor Premium Torcida Mista: Portões D e G
Portadores de Necessidade Especial: Portão G

Após chuvas, açude seco há 17 meses atinge 30% da capacidade no interior do RN

 

Foto: Anderson de Almeida

Fonte: G1 RN

O açude Dourado, em Currais Novos, Seridó Potiguar, atingiu 30% de sua capacidade após as chuvas que vêm ocorrendo no Rio Grande do Norte. O reservatório estava seco desde novembro de 2017, de acordo com o Instituto de Gestão das Águas do Estado (Igarn), e agora tem garantia hídrica até o final de 2019.

A Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern) informou que, diante da retomada da capacidade hídrica do açude, será possível retomar o sistema de captação de água do manancial. A Caern disse ainda que vai voltar a operar no reservatório em um prazo de 15 dias. O Açude Dourado tem capacidade de 10 milhões de m³.

Barragem

Ainda de acordo com a Companhia, o maior reservatório do Rio Grande do Norte, a barragem Armando Ribeiro Gonçalves, também registrou um “significativo aumento” de volume durante o feriado. A barragem fica na mesma região do açude Dourado.

Meio-dia RN – 22/04/2019

 

Natal precisa de R$ 1,5 bilhão em recursos para obras de drenagem

 

Fonte: Tribuna do Norte

Os problemas  de alagamentos  provocados pelas chuvas têm solução definitiva mas a Prefeitura não tem de onde tirar R$ 1,5 bilhão para investir nas obras de drenagem necessárias para os 84 pontos críticos identificados pelo Plano Diretor de Drenagem e Manejo de Águas Pluviais da Cidade do Natal. 

As previsões da meteorologia apontam boa quadra chuvosa na faixa leste (litoral) a partir de maio. Essa área inclui Natal e deixa apreensivo quem mora em áreas onde é comum alagar.

O secretário de Obras e Infraestrutura de Natal, Tomaz Neto, explicou que o montante de R$ 1,5 bilhão é baseado no Plano Diretor de Drenagem, mas a Prefeitura não tem esses recursos para melhorar o sistema de drenagem na capital. 

O Plano cadastrou 120 pontos críticos de drenagem em Natal e, ao  contrário do que se propaga, não é a zona Norte que tem a maioria das áreas vulneráveis. A zona Sul tem 46 desses pontos enquanto a zona Norte, tem 39. A zona Leste tem 22 e a Oeste, 13. 

Tomaz Neto apontou dez pontos críticos de alagamento na cidade por falta de drenagem: avenida da Integração, avenida Ayrton Senna, Arena das Dunas, Salgado Filho com a rua Almeida Barreto (em frente ao Crea-RN), avenida Capitão-Mor Gouveia,  San Vale e Parque das Colinas, rua Santa Luzia em Igapó, Santarém na zona Norte, rua Mipibu e rua Afonso Pena. 

No documento de 2011 estão anotadas soluções de macrodrenagem prioritária, como é o caso do túnel Arena das Dunas, e também de microdrenagem, a solução em execução na rua Santa Luzia, no bairro Igapó. 

O túnel Arena das Dunas, segundo o secretário, é a obra de drenagem mais importante realizada em Natal nos últimos 50 anos. Há um porém: a obra de R$ 17 milhões está paralisada esperando o sinal verde da Caixa Econômica Federal. O túnel de 4,7 km sozinho vai solucionar 33 pontos de alagamentos ao longo da Capitão-Mor Gouveia, passando pela avenida Jerônimo Câmara, até uma lagoa às margens do Rio Potengi antes do descarte final da água no próprio rio. 

Dos 4,7 km, 860 metros já foram concluídos antes da paralisação para ajustes como a construção de um extravasor na lagoa do Centro Administrativo e uso de jet grouting, um sistema de permeabilização interna do túnel que evita acidentes devido à alta profundidade que varia de 16m a 33m, com diâmetros entre 1,6 metros e 3,3 metros.    A zona Norte tem vários pontos de alagamentos pela falta de drenagem e pavimentação. Muitos loteamentos também viram área de alagamento, apontou o secretário.  

 Entre os bairros de Tirol e Petrópolis, a rua Mipibu,  na zona Leste, alaga casas, prédios comerciais e edifícios porque as galerias da microdrenagem ficam entupidas de lixo que descem das encostas de Mãe Luiza e das ruas no entrono como a Maria Auxiliadora, Dr. Renato Dantas e Dom José Pereira Alves. 

Há mais de um mês foram retirados mais de 6 toneladas de lixo que entupiu a galeria, que também provocou o afundamento de trechos da avenida Afonso Pena. “De certa forma é vergonhoso para a comunidade como um todo”, criticou o secretário. “Fica difícil conviver com lixo e drenagem. São coisas que não combinam”, afirma o secretário. 

A área do entorno da Arena das Dunas, a confluência da Salgado Filho com a rua Almeida Barreto em frente ao CREA, e os bairros San Vale e Parque das Colinas, segundo o secretário, alagam por causa dos mesmos problemas da maioria dos bairros da zona Norte que não têm drenagem e também têm uma contribuição significativa e negativa do acúmulo de lixo, que obstruem galerias.
População reclama dos alagamentos  

O comerciante Geraldo Adelino Soares, não tem esperança das obras de drenagem da rua  Santa Luzia, em Igapó, zona Norte, onde mora, ficaram prontas antes do início de maio, quando começa o período de chuvas em Natal. 

A casa do comerciante e cheia de  barramentos de concreto para evitar a invasão das água. Uma loja da família alagou em mais de um metro. Nesta quinta-feira (18) ele lamentou o atraso nas obras e disse que na quarta-feira (17) um trabalhador quase foi ferido por uma jato de água quando tentava desentupir uma tubulação da drenagem. “Os trabalhadores (da obra) não querem tirar a areia da tubulação”, lamentou.

Geraldo Adelino mostra os ajustes que teve que fazer em sua casa para evitar alagamentos

Geraldo Adelino mostra os ajustes que teve que fazer em sua casa para evitar alagamentosTambém na zona Norte, no  conjunto Santarém, bairro Potengi, o aposentado José Teixeira de Moura, 66, reclamou que a rua Taraucá, da falta de obras de drenagem. Segundo ele, uma obra inacabada faz com que o esgoto transborde e até fezes saia da tubulação para rua, principalmente, porque a lagoa de captação do conjunto tem lixo e o mato crescido provoca mau cheiro e risco de proliferação de mosquitos como o transmissor da dengue. “A lagoa está imunda”, disse. 

Segundo ele, qualquer chuva provoca alagamento na rua por falta de drenagem. 

Adriana Matias, vizinha de José Teixeira, endossou as reclamações e acrescentou que a Estação Elevatória da Caern, construída em frente à sua casa, foi concluída em 2018 não está funcionando e oferece risco à população porque há um tanque aberto com água parada, além de exalar mau cheiro e ser um potencial criadouro de mosquitos. 

Na avenida da Integração, o problema apontado pela proprietária de uma oficina mecânica, Patrícia Moura, é que os alagamentos afastam a sua clientela. Na semana passada funcionou apenas três dias porque a  água chegou a mais de um metros em frente à sua oficina. Além do mais, ao lado, tem uma lagoa que transborda sempre que chove muito.  

Abril Verde: Assembleia vai debater saúde e segurança no trabalho

 

Fonte: Novo Jornal

No mês que marca a prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, a Assembleia Legislativa, por iniciativa da deputada Isolda Dantas (PT), vai promover audiência pública no dia 22, às 14h, em alusão ao Abril Verde. O debate busca chamar a atenção para a importância de adoção de uma cultura permanente de prevenção de acidentes do trabalho e doenças ocupacionais.

“A audiência busca discutir questões atinentes ao ambiente do trabalho como fator desencadeador do adoecimento do trabalhador e da trabalhadora no Rio Grande do Norte”, justifica Isolda.

Estima-se que 2,3 milhões de trabalhadores morrem todo ano devido a acidentes de trabalho ou doenças ocupacionais. Diante dos índices alarmantes, foi criado o movimento Abril Verde, iniciativa popular com participação espontânea que luta para marcar o mês como data de referência na luta por saúde e segurança no trabalho.

O movimento busca, dentre outras ações, debater responsabilidade entre gestores e governos; conscientizar a população sobre a segurança e saúde do trabalho; promover a qualidade de vida no trabalho; engajar a sociedade; promover ações e manifestações; e promover a cultura de prevenção.

Lei Seca fiscaliza 661 condutores e recaptura foragido da Justiça

 

Fonte: Agora RN

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) atuou neste fim de semana em ações de fiscalização realizadas por meio da Operação Lei Seca, na Avenida Engenheiro Roberto Freire. A mobilização fiscalizou 661 veículos, sendo 27 condutores autuados por desrespeito a Lei Seca. Outros 11 autos de infração por motivos diversos foram registrados e três veículos foram removidos ao pátio de apreensão do Detran.

As abordagens coordenadas pelo Detran não se limitam a fiscalização das normas estabelecidas pela Lei Seca. Os condutores fiscalizados tiveram a documentação pessoal de habilitação e a dos veículos averiguadas pelos policiais. A iniciativa busca também combater o roubo de automóveis na capital e ampliar o policiamento ostensivo nas regiões onde as blitzen são deflagradas.

Nesse sentido, os policiais da Operação Lei Seca conseguiram ainda no meio da semana recapturar um foragido da justiça identificado como Henrique Jerônimo da Silva. “O indivíduo vinha transitando em uma motocicleta e ao avistar a blitz tentou dar meia volta, mas rapidamente foi interceptado pelos policiais que tinham sido posicionados na contenção e impedido de fugir. Após solicitação de documentação, o então suspeito entregou apenas a xerox da identidade e foi percebido que o mesmo ostentava uma tatuagem típica de apenados. A suspeita foi averiguada e confirmou-se o mandado de prisão aberto em seu desfavor”, explicou o coordenador da Operação Lei Seca, Isaac Paiva.

A Operação Lei Seca do Detran já responsável pela prisão de acusados de roubo, pela recuperação de veículos roubados e por inibir ações delituosas nas áreas onde os policiais estão patrulhando.

Número de mortos em ataques no Sri Lanka sobe para 290

 

Fonte: Agencia Brasil

O número de mortos na série de atentados coordenados que ocorreram no Sri Lanka no Domingo de Páscoa (21) subiu para 290. Cerca de 500 pessoas ficaram feridas. Os ataques, cometidos em alguns casos por homens-bomba, tiveram como alvos templos católicos e hotéis de luxo.

Ao divulgar o mais recente balanço de vítimas, o porta-voz da Polícia do Sri Lanka, Ruwan Gunasekara, anunciou que 24 pessoas foram detidas por suspeita de participação nos ataques.  Os detidos estão sendo interrogados pela divisão de investigação criminal da Polícia, acrescentou Gunasekara.

A maior parte dos mortos é de cidadãos do Sri Lanka, mas há pelo menos 32 estrangeiros entre as vítimas, incluindo cidadãos da Bélgica, dos Estados Unidos, da China, do Reino Unido, da Índia e de Portugal.

Nenhum grupo reivindicou a autoria das ações até o momento. Por enquanto, o governo segue divulgando informações dispersas sobre as suspeitas no caso. O ministro da Defesa, Ruwan Wijewardene, disse que os autores dos ataques foram identificados como “extremistas religiosos” e pertenciam a um único grupo, sem dar mais detalhes.

O ministro da Saúde do país, Rajitha Senaratne, disse que sete das oitos explosões foram cometidas por terroristas suicidas e que todos esses homens-bomba eram cidadãos do Sri Lanka. 

Rajitha Senaratne, um porta-voz do governo, por sua vez, afirmou que o ataque coordenado deve ter contado com ajuda externa. “Não acreditamos que esses ataques foram executados por um grupo de pessoas restrito a este país. Esses ataques não teriam sido bem-sucedidos sem uma rede internacional”, disse.

Segundo o jornal New York Times, um alto integrante da polícia do Sri Lanka advertiu o governo, há 10 dias, sobre o risco de atentados contra igrejas no país, e que a minoria cristã do país estava na mira de um grupo islâmico radical chamado Thowheeth Jama’ath. Não ficou claro, no entanto, se as autoridades tomaram alguma medida adicional de segurança. O primeiro-ministro Ranil Wickremesinghe disse que não foi informado sobre a ameaça. “Temos que verificar por que precauções adequadas não foram tomadas”, disse ele.

Após os ataques, a embaixada dos Estados Unidos em Colombo advertiu que “grupos terroristas” continuam preparando ataques no Sri Lanka. “Os grupos terroristas continuam tramando possíveis ataques no país. Os terroristas poderiam atacar, com pouca ou nenhuma advertência, áreas públicas”, anunciou o Departamento de Estado por meio da sede diplomática americana no país asiático.

A embaixada americana cita como possíveis alvos desses ataques espaços turísticos, centros de transporte, mercados, shoppings, instalações do governo, hotéis, clubes, restaurantes, lugares de culto, parques, eventos esportivos e culturais importantes, instituições educativas e aeroportos.

Novo edital de licitação dos transportes será lançado até junho, diz STTU

 

Fonte: Agora RN

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) de Natal confirmou que o edital de licitação dos transportes públicos da capital tem previsão de ser lançado em até dois meses.

De acordo com a secretaria, em contato com a reportagem do Agora RN, atualmente, o edital passa por uma fase de elaboração e revisão de seu texto. A minuta estava sob responsabilidade do Instituto da Mobilidade Sustentável Rua Viva, sediado em Belo Horizonte (MG), que foi contratado em 2016 por R$ 97 mil com dispensa de licitação.

O processo continua após a STTU receber os vetos apreciados pela Câmara Municipal na Lei Complementar 179/2018, que traz as regras do transporte público em Natal.

Anteriormente, o prefeito Álvaro Dias (MDB) havia vetado, em janeiro, quatro artigos que constavam na Lei dos Transportes. Contudo, os vetos só foram apreciados pelos vereadores no início de março, quando os parlamentares retornaram às suas atividades na Câmara.

Dos artigos vetados por Álvaro, a Câmara derrubou apenas um: a medida que permitia que atuais cobradores pudessem ser realocados em outras funções dentro das empresas de transporte, já que a cultura da dupla função é liberada.

Histórico

O processo licitatório do transporte público de Natal teve início em 2013, mas o Município encerrou a elaboração do texto da Lei dos Transportes somente em 2015. Na Câmara, a legislação recebeu 140 emendas.

Foram feitas duas convocações para recebimento de propostas, entre janeiro e abril de 2017, mas as rodadas terminaram desertas por falta de interesse das empresas envolvidas. Alguns dos pontos rechaçados pelas empresas na época era a renovação total da frota para quatro anos, e a diminuição de idade para a gratuidade dos idosos de 65 anos para 60.

Com o duplo insucesso, o Município enviou novo projeto de lei para a Câmara, que aprovou em dezembro o novo texto da licitação dos transporte.

Frota velha

Hoje, Natal possui a frota mais velha entre as capitais nordestinas. Os dados foram divulgados no início deste ano pela Associação Nacional de Empresas de Transportes Urbanos (NTU).

Ao todo, a capital tem 710 veículos realizando o transporte urbano na cidade. A média de idade deles é de 8,9 anos – o ideal, segundo a última lei de licitação aprovada, seria uma idade média de quatro anos.