Hemonorte faz campanha de cadastro para doadores de medula óssea em praia de Natal

 

Fonte: G1

O Hemocentro do Rio Grande do Norte (Hemonorte), por meio da Equipe de Captação, em parceria com o Projeto Ponte da Vida, realiza neste sábado (16) uma campanha de cadastro para doação de medula óssea. O evento acontece na Praia do Forte, das 14h às 17h.

De acordo com a chefe do Serviço Social do Hemonorte, Miriam Mafra, a iniciativa tem como objetivo sensibilizar as pessoas sobre a importância de fazer parte do Cadastro Nacional de Doadores de Medula Óssea.

Caern realiza serviço de manutenção e 18 localidades de Natal

 

Fonte: G1

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) vai realizar um servuço de prevenção na Estação de Tratamento de Água de Extremoz, na Região Metropolitana, e deixará 18 conjuntos e bairros e Natal e São Gonçalo do Amarante sem água. A manutenção vai acontecer na quarta-feira (20).

Para a trabalho, o fornecimento de água será interrompido durante todo o dia, sendo o abastecimento retomado no fim da noite. A normalização da distribuição deve ocorrer em até 48h. As localidades que ficarão desabastecidas são as seguintes: Comunidade da África, Algimar, Alvorada, Amarante, Golandim, Igapó, Jardim Lola, Nova Zelândia, Panatis, Parque dos Coqueiros, parte do Conjunto Santarém, parte Gramoré, Potengi, Redinha (nova e velha), Riverside, Santa Inês, Soledade I e Vale Dourado.

De acordo com a Caern, a manutenção tem por objetivo assegurar a qualidade da água distribuída e manter o funcionamento correto da ETA de Extremoz (ETA). Ainda segundo a Companhia, o serviço estava previsto para o início do mês, mas foi adiado por questões técnicas. O equipamento é responsável pelo tratamento da água que abastece 70% da Zona Norte de Natal.

Os demais bairros da Zona Norte da capital, não citados, terão redução no abastecimento. A recomendação da Companhia é que os moradores desta região reservem água para o período e que, principalmente, utilizem a água de forma racional.

Famílias em risco vão para abrigos

 

Fonte: Tribuna do Norte

Trinta e três famílias da Comunidade do Jacó, no bairro das Rocas, e outras 15 residentes do bairro de Mãe Luiza devem ser deslocadas para abrigos por causa das chuvas. Na noite desta quarta (13), a Empresa de Pesquisas Agropecuárias do RN (Emparn), registrou uma média de 54 milímetros de chuva em Natal em poucas horas – em algumas áreas da cidade, o volume de água chegou a 77,2 milímetros. Os institutos de meteorologia prevêem um tempo instável, com possibilidade de mais chuvas nos próximos dias para o Rio Grande do Norte.

A previsão fez com que a administração  municipal buscasse uma solução imediata para as famílias residentes nas áreas com risco de desabamento . No Jacó, onde 50 famílias já foram notificadas e tiveram os imóveis interditados pela Defesa Civil, 33 estão sob risco iminente, de acordo com a Secretaria Municipal de Habitação. Dessas, 14 estão resistentes em deixar o local para o abrigo no Centro de Atenção Integrada à Criança, no bairro do Satélite.

“É muito simples. Meses atrás, a Prefeitura chega e avisa que vamos ter que sair das nossas casas, porque é perigoso. Vemos que não tem o que fazer, então aceitamos o acordo proposto pela Prefeitura, de mudar para o Village de Prata. Aí já está tudo certo e de repente chegam aqui dizendo que vamos ter que ir para um abrigo? Olhe, não vou abandonar minhas coisas aqui não. Eu vou sair para o lugar que foi combinado e estabelecido, com a chave do apartamento”, afirma Evandro Samuel da Silva, de 50 anos, e que há 10 resite no Jacó.

A casa de Evandro é uma das que foi apontada em situação de risco  e interditada pela Defesa Civil. O acordo era de que, no dia 20 deste mês, o apartamento no Village de Prata, empreendimento do Minha Casa, Minha Vida para o qual está indo parte das famílias do Jacó, fosse entregue aos moradores. A possibilidade de fortes chuvas, no entanto, fez com que a Prefeitura antecipasse a recomendação para que as famílias deixassem as casas. As chaves  ainda não estão disponíveis graças a razões burocráticas – de acordo com a Prefeitura, ainda falta uma autorização do Governo Federal para que a Caixa Econômica libere as chaves dos apartamentos.

A administração municipal afirma que está em contato com o Governo, a fim de tentar antecipar  a entrega para que as famílias não tenham que ficar no abrigo provisório.  “Ninguém quer ir para abrigo. É triste, e sabemos que vamos ter que ir se não tiver alternativa, porque são nossas vidas que estão em jogo. Mas falta uma solução que permita que a gente continue a viver com dignidade. Temos medo de sair, deixar as coisas em casa e, quando voltar, se voltar, não encontrar mais nada”, afirma Reinaldo Oliveira, de 47 anos, que há 3 anos vive no Jacó.

Por outro lado, a situação em Mãe Luiza ainda aguarda uma solução definitiva. De acordo com o secretário de habitação, Carlson Gomes, a Prefeitura ainda está estudando as alternativas. “Há possibilidade de pagar um aluguel social, ou uma indenização. Ainda estamos estudando e conversando com a população para decidir o melhor caminho”, afirma.

Além da Secretaria de Habitação, estiveram presentes as secretarias municipais de Obras e Infraestrutura, Trabalho e Assistência Social e Defesa Civil. No local, o secretário Tomaz Neto, titular da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov), afirmou que um estudo para a elaboração de um novo muro de contenção para a Comunidade do Jacó já foi solicitado. “A situação na comunidade é muito séria, já existem muitos imóveis interditados pela Defesa Civil. Nossa prioridade é de proteger a vida dessas pessoas e evitar uma tragédia. Nos estudos preliminares, já foi apontado que algumas casas terão de ser removidas para a construção do muro de contenção que vai impedir que aconteçam deslizamentos de terra”, afirma.

Rua Santa Luzia
As chuvas da noite desta quarta-feira (13) inundaram parte das casas da rua Santa Luzia, em Igapó. Há sete meses em obras, a rua possui uma cratera de largura equivalente à da própria rua, por onde canos jogam água. Durante a madrugada, moradores relataram ter vivido cenas “de terror”, com água invadindo as residências e lama destruindo calçadas.

“Parecia uma onda do mar de lama. Ficamos com muito medo, pensamos que ia acontecer uma tragédia”, relata Rone Hélio do Nascimento de 39 anos, que há três meses reside na rua. A maior reclamação dos moradores é da não continuidade da obra que, de acordo com eles, é feita em diversos pontos “ao mesmo tempo”. Na rua, era possível ver um carro que ficou soterrado pela lama. Nenhum outro veículo consegue entrar no espaço.

“Começam uma parte e não terminam, abrem outra parte e não juntam com as outras. Esse desastre que aconteceu nessa madrugada era algo que prevíamos há muito tempo”, afirma José Idis Barbosa, de 39 anos, que há 26 anos reside na rua.

De acordo com o secretário Tomaz Neto, diversas obras acontecem ao mesmo tempo na rua Santa Luzia, tanto por parte da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) como da Prefeitura. “Como é uma obra de drenagem com esgoto corrente, é complexa e leva tempo. Não podemos avançar mais do que alguns metros por dia”, explica o secretário. A previsão para conclusão da obra é de 30 dias.

“Essa é uma obra que tem previsão para ser concluída em doze meses, mas vamos entregar nos próximos 30 dias, ou seja, antes do prazo previsto”, diz. Ele nega que faltem recursos para a conclusão, e que tudo está acontecendo dentro do planejamento. “Era uma área que necessitava urgentemente de uma obra de drenagem. Toda vez que chovia, por mais de 20 anos, ali alagava muito e era um transtorno para os moradores. Com a conclusão da obra, acredito que vamos sanar esse problema definitivamente”, completa.

Oito funcionário da Vale são presos em investigação sobre Brumadinho

 

Fonte: Agora RN

Oito funcionários da Vale foram presos na manhã desta sexta-feira, 15, em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Ao todo, são 14 mandados de busca e apreensão, e oito de prisão. O pedido foi do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).

Entre os presos, estão quatro gerentes (dois deles, executivos) e quatro integrantes das respectivas equipes técnicas. Segundo o MPMG, todos são diretamente envolvidos na segurança e estabilidade da Barragem 1, rompida no dia 25 de janeiro. As prisões temporárias foram decretadas pelo prazo de 30 dias.

Foram, ainda, alvos de busca e apreensão, em São Paulo e Belo Horizonte, 4 funcionários (um diretor, um gerente e dois integrantes do corpo técnico) da empresa alemã TÜV SÜD, que prestou serviços para a Vale, referentes à estabilidade da barragem rompida. Também foi cumprido mandado de busca e apreensão na sede da empresa no Rio de Janeiro.

A operação contou com o apoio das Polícias Militar e Civil do Estado de Minas Gerais e, ainda, com atuação dos Ministérios Públicos dos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo.

Todos os presos serão ouvidos pelo Ministério Público Estadual, em Belo Horizonte. Também são apurados crimes ambientais e de falsidade ideológica.

Pagamento adiantado da folha de fevereiro de servidores estaduais está mantido

 

Fonte: Blog do BG

O Governo do Estado confirma a continuidade do pagamento adiantado de servidores, nesta sexta-feira, 15, quando recebem, em valores integrais, quem ganha até R$ 6 mil e também servidores dos órgãos que integram a Segurança Pública.

A data foi acertada durante reunião no último dia 05, entre o Governo do Estado e as entidades representativas do funcionalismo público. No dia 28, fechando a folha, recebem o complemento de 70% quem ganha acima de R$ 6 mil, pois esta categoria já recebeu 30% do salário no último dia 11.

O pagamento foi confirmado depois da decisão do Desembargador João Batista Rebouças, presidente do Tribunal de Justiça do RN, que manteve o acordo firmado entre o Governo do RN e o Fórum de Servidores. Em sua decisão, o Desembargador considera a “atual e notória insuficiência de recursos” do Governo do RN para quitar todas as dívidas de maneira simultânea. O Presidente do TJ destacou que “não se pode desconhecer o louvável esforço da atual gestão do Estado do Rio Grande do Norte que, após intensas discussões e concessões recíprocas, junto a representantes dos servidores públicos civis e militares, conseguiu acordar pela definição de um calendário

Associação pede anulação de licitação que escolheu empresa para gerir banheiros de Ponta Negra

 

Fonte: G1

A Associação de Antigos Barraqueiros de Ponta Negra pediu a anulação da licitação que escolheu uma empresa para tomar conta dos banheiros e chuveiros da praia, que fica na Zona Sul de Natal. De acordo com o advogado que representa os associados, há indícios de que a terceirizada que venceu o certame foi favorecida no processo.

G1 entrou em contato com a empresa em questão, a Montecon Segurança e Serviços Eirele – ME, contudo a reportagem foi informada que o responsável por falar sobre a licitação está viajando. A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, responsável pelos banheiros e chuveiros. A Semsur afirmou que o certame foi conduzido pela Secretaria de Administração (Semad). No entanto, afirmou que o contrato foi firmado com a Montecon porque somente ela apresentou os documentos necessários ao contrato.

“Duas empresas demonstraram interesse em apresentar propostas. Ao analisar as interessadas, foi verificada a necessidade de regularização de documentos para a habilitação das licitantes. A Semad, por sua vez, concedeu prazo para apresentação da documentação. Após o tempo estabelecido pela Secretaria de Administração, apenas uma empresa forneceu os documentos necessários para habilitação e, consequentemente, assinatura do contrato para concessão dos banheiros – A empresa em questão é a Montecom Segurança e Serviços Eireli”, declarou a Semsur em nota enviada ao G1.

O advogado da associação de barraqueiros, Luciano Falcão, conta que os associados desconfiaram do suposto favorecimento depois que a prefeitura proibiu os donos de quiosque do calçadão de Ponta Negra de oferecer um chuveiro aos clientes. “Então pedimos para ter acesso ao processo”, afirma Falcão. Ao analisar a licitação, diz o advogado, foram constatados indícios de que houve favorecimento.

Anac suspende e interdita aeronaves de empresa dona de helicóptero que caiu com Boechat

 

Fonte: Jornal Extra

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) suspendeu , em medida cautelar, a RQ Serviços Aéreos Especializados e interditou as aeronaves da empresa, dona do helicóptero que caiu na última-segunda-feira matando o jornalista Ricardo Boechat e o piloto, Ronaldo Quattrucci . A agência tomou a iniciativa por considerar que a empresa estava exercendo, irregulamente, a prática de táxi aéreo.

O processo de investigação, segundo a Anac, foi aberto no próprio dia do acidente para constatar o tipo de serviço que estava sendo prestado com a aeronave de prefixo PT-HPG. A RQ Serviços Aéreos Especializados possuía autorização para prestar serviços especializados, como aerofotografia e aerocinematografia. A empresa, no entanto, não possuía autorização para transportar passageiros, prática exclusiva de empresas certificadas como táxi-aéreo .

As licenças e habilitações de Quattruci como piloto comercial de helicóptero estavam válidas. Quattrucci, ao lado do filho, era dono da RQ Serviços Aéreos Especializados.

As empresas envolvidas na contratação do serviço foram acionadas pela ANAC para prestarem esclarecimentos e apresentarem a documentação que comprove o tipo de contratação. As empresas Libbs Industria Farmacêutica, Zum Brazil Eventos e a própria RQ Serviços Aéreos Especializados têm prazo de cinco dias úteis para resposta a partir da publicação da decisão no Diário Oficial da União. A Zum informou que está colaborando com as investigações.

Em Mossoró, 800 militares do Exército fazem operação para garantir transferência de presos para penitenciária federal

 

Fonte: G1

Oitocentos militares do Exército brasileiro realizam nesta quarta-feira (13) uma operação de segurança para a transferência de detentos para a Penitenciária Federal de Mossoró, na região Oeste potiguar. Os detentos chegam ao Rio Grande do Norte vindos de presídios em Presidente Venceslau e em Presidente Bernardes, no interior de São Paulo.

O desembarque deve acontecer ainda nesta tarde. Contudo, ainda não se sabe quantos virão nem quem são os presos. A operação foi batizada de ‘Tranca Forte’. Das duas unidades de São Paulo saíram 22 presos.

Os militares devem permanecer em Mossoró até o dia 27, segundo publicação feita no Diário Oficial da União na edição desta quarta.

O decreto, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, ainda prevê reforço de tropas federais para a Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia, que também deve receber parte dos presos.

E uma outra parte dos detentos segue para a Penitenciária Federal de Brasília, que fica no Complexo Penitenciário da Papuda.

A transferência de integrantes do PCC ocorre após o governo paulista ter descoberto um plano de fuga para os chefes e ameaças de morte ao promotor que combate a facção no interior de São Paulo. A facção atua dentro e fora dos presídios brasileiros e internacionalmente.

Atenção estudante: Hoje é o último dia de matrícula do ProUni

 

Fonte: Agencia Brasil

Hoje (14), é o último dia para os estudantes selecionados na primeira chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) fazerem a matrícula nas instituições de ensino superior. O resultado da primeira chamada foi divulgado no último dia 6.

Os estudantes devem comparecer às instituições com os documentos que comprovam as informações prestadas na ficha de inscrição. Cabe aos candidatos verificar os horários e o local de comparecimento para a aferição das informações. A lista da documentação necessáriaestá disponível na internet.

Algumas instituições podem exigir dos candidatos aprovados que façam uma prova. Os estudantes devem verificar, no momento da inscrição, se a instituição vai aplicar processo seletivo próprio. As instituições que optarem por processo próprio devem explicar o procedimento formalmente aos estudantes, no prazo máximo de 24 horas da divulgação dos resultados das chamadas.

Justiça proíbe crianças e adolescentes no Ninho do Urubu

 

Fonte: Agencia Brasil

Crianças e adolescentes não poderão entrar no Centro de Treinamento do Flamengo, mais conhecido como Ninho do Urubu. A proibição foi determinada hoje (13) em decisão liminar da 1ª Vara de Infância, da Juventude e do Idoso da capital.

Os menores de idade não poderão entrar, permanecer, nem participar de atividades do centro de treinamento até o julgamento do mérito da ação, proposta pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. O descumprimento da decisão pode gerar uma multa de R$ 10 milhões ao clube e de R$ 1 milhão ao presidente do Flamengo, Rodolfo Landim.

O juiz Pedro Henrique Alves, que assina a liminar, disse que foram encontradas irregularidades em fiscalizações anteriores ao incêndio que deixou 10 mortos e três feridos na última sexta-feira (8).

O serviço da 1ª Vara da Infância já havia constatado problemas relacionados “às acomodações, alimentação, atenção à saúde, à educação, acompanhamento pedagógico e psicológico, documentação de cada atleta, equipe profissional e convivência familiar e comunitária”.

A decisão acrescenta que, em nova fiscalização no local, após o incêndio, a equipe da Vara da Infância e da Juventude constatou que o Flamengo havia tomado medidas sem comunicar à Justiça, entre elas o alojamento dos adolescentes nos contêineres que pegaram fogo.