Brasileiro gastou R$ 800 só com tarifas bancárias em 2018, mostra estudo

 

Fonte: UOL

O brasileiro gastou quase R$ 800 em tarifas bancárias no ano passado, que renderam mais de R$ 17 bilhões às principais instituições financeiras privadas do país. A despesa média por correntista foi de R$ 66,42 por mês, considerando os valores cobrados por saques, transferências (DOCs e TEDs), emissão de boletos e anuidade de cartões de crédito, entre outros serviços.

Os números foram divulgados nesta sexta-feira (8) em uma pesquisa feita pelo Banco Inter. Vale lembrar que qualquer banco é obrigado a oferecer pelo menos um pacote gratuito de serviços a todos os clientes, mas nem sempre ele é divulgado.

Segundo a pesquisa, praticamente metade da despesa (49%) foi gerada pela anuidade do cartão e pela tarifa de manutenção de conta corrente. O restante das tarifas veio de transações recorrentes, como saques, transferências e emissão de boletos.

O levantamento considerou o valor médio das tarifas dos principais bancos e a quantidade média de serviços utilizados pela base de 1,5 milhão de clientes do Banco Inter ao longo do ano passado.

BANCOS FATURARAM MAIS DE R$ 17 BI COM TARIFAS

Os três principais bancos privados brasileiros –Bradesco, Itaú Unibanco e Santander– registraram juntos uma receita de R$ 17,85 bilhões no ano passado apenas com cobranças de tarifas de seus correntistas.

A receita conjunta foi cerca de 8% maior do que no ano anterior, segundo os balanços financeiros divulgados pelas instituições. Os principais bancos públicos –Banco do Brasil e Caixa– ainda não publicaram seus resultados referentes ao ano passado.

QUALQUER BANCO DEVE OFERECER PACOTE GRATUITO

Todos os bancos são obrigados a oferecer pelo menos um pacote de tarifas totalmente gratuito. Chamado de pacote essencial, ele inclui os seguintes serviços por mês: quatro saques, duas transferências entre contas do mesmo banco, dois extratos impressos e fornecimento de até dez folhas de cheques.

O grande volume de tarifas pagas pelos clientes dos bancos se deve ao desconhecimento da maioria das pessoas sobre a existência dessa regra, criada em 2010 pelo Banco Central. Ela vale para todos os clientes que tenham conta corrente ou poupança, digital ou não, simples ou especial (voltada ao público de alta renda).

BANCOS DIGITAIS POSSUEM MAIS SERVIÇOS GRATUITOS

Para o cliente que realiza muitas transações por mês, o pacote essencial pode não ser interessante porque os bancos podem cobrar pelos serviços que excedem o pacote.

Segundo o Banco Central, a tarifa média por saque é de R$ 1,75, enquanto uma transferência (TED) custa R$ 15. A anuidade de um cartão internacional sai por R$ 194, em média, enquanto um cartão “Black” (destinado ao público de alta renda) chega a custar R$ 890 por ano.

Nesse caso, pode ser mais interessante recorrer aos bancos digitais para economizar com tarifas. Porém, é preciso comparar os serviços. Algumas instituições cobram taxa para realizar saques, por exemplo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *