Saída do Rio Grande do Norte há dez anos em busca de uma vida melhor no sul, mas acabou nas ruas, vai ganhar casa nova com doações da comunidade

 

Fonte: G1 RS

Uma surpresa deixou o fim do ano mais feliz para a ex-moradora de rua Teresa Cristina de Araújo. É que a mãe da Ana Paula e da Clarinha está prestes a ganhar uma casa nova graças a uma rede de solidariedade formada em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

“Para mim, isso aí é um sonho, um sonho que eu achava que nunca ia ser realizado”, comemora.

Há dez anos, “Cris”, como é mais conhecida, deixou o Rio Grande do Norte para tentar uma vida melhor no Rio Grande do Sul. Na época, veio acompanhada do companheiro e da filha Ana Paula, mas nem imaginava o que estava por vir.

“Eu vim a trabalho, vim com o pai dos meus filhos. Fez dois anos que a gente estava aqui, ele foi embora e me deixou aqui. Aí eu fui morar nas ruas, perdi minha filha pro Conselho [Tutelar], mas não desisti dela. Hoje, ela está comigo de volta”, conta a dona de casa Teresa Cristina de Araújo.

A vida dela começou a mudar quando conheceu o atual marido, Rafael. Ele tinha um terreno e a convidou a sair das ruas. “Eu disse que sim. A gente conseguiu umas madeiras, fizemos uma casinha improvisada”, lembra ela.

Só que faltava uma parte importante: a casa não tinha banheiro. Foi quando o ativista social Cláudio Roberto ficou sabendo da história e decidiu ajudar. Foi ele que deu o pontapé inicial para que uma corrente do bem começasse a se formar.

“É o mínimo tu ter um banheiro pra tomar um banho, fazer as necessidades. Aí eu pensei: e por que não a casa, né? Eu sei que a minha rede é forte. E aí lançamos a campanha da casa e, no mesmo momento, já começaram a doar pedra, tijolo, cimento, areia, madeira pros telhados”, conta Cláudio.

Comunidade se engajou na causa e decidiu ajudar na construção — Foto: Reprodução/RBS TV

Comunidade se engajou na causa e decidiu ajudar na construção — Foto: Reprodução/RBS TV

Muita gente escolheu fazer a diferença, não só os vizinhos do bairro Parque Índio Jari, de Viamão. A #NataldaCris viralizou nas redes sociais. Mais de 60 pessoas já contribuíram. Até as madeireiras do bairro entraram na campanha e fizeram um desconto para quem quisesse ajudar na construção da casa.

“Eu disse: ‘consegue o material, que a mão-de-obra eu vou te dar’. Aí eu, meu filho, meu genro, o pai do meu genro e mais um amigo nosso ajudando aí”, relata o músico André Ricardo dos Reis.

A obra está bem adiantada, mas Cris ainda não tinha visto nada. Não conteve a emoção ao visitar o espaço pela primeira vez. “É uma bênção de Deus, muita alegria! Daqui a pouco, com telhado, com tudo, e eu dentro de casa”, planeja.

Enquanto a moradia não fica pronta, o André, que está botando a mão na massa, e a Gisele abriram as portas da casa deles para a Cris e a família. E nessa corrente do bem, eles vão ganhar não só uma casa nova, mas muitos amigos.

“Ela não pediu nada disso que está acontecendo na vida dela hoje. Ela pediu simplesmente um banheiro, a dignidade de ter um banheiro. Era minha vizinha, agora é minha comadre. Hoje, ela faz parte da nossa família”, garante a vizinha Gisele Soares Brasil.

O pessoal está “pegando junto” para entregar a casa até o Natal, e querem deixar tudo mobiliado. “Que possa inspirar mais outras pessoas a olhar para o vizinho, para o lado. Às vezes, o problema está bem do lado da gente e a gente não enxerga”, finaliza Cláudio.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *