A gasolina mais cara do Brasil está em Natal, afirma ANP

Após os últimos reajustes, Natal passou a ter oficialmente a gasolina mais cara entre as capitais do Brasil. De acordo com pesquisa da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a capital potiguar encerrou a semana passada (entre 24 e 30 de janeiro) com um preço médio nas bombas de R$ 5,172 por litro do produto para o consumidor final.

A pesquisa da ANP é realizada ao longo da semana. A agência visita postos da cidade e faz uma média dos valores cobrados. Em Natal, 27 postos foram visitados de segunda a sexta. O maior valor encontrado foi R$ 5,19 e o menor, R$ 4,97.

Em janeiro, a maioria dos postos de combustíveis de Natal elevou o preço do combustível para R$ 5,19, 30 centavos a mais do valor anterior. O aumento é consequência do reajuste feito pela Petrobras nas refinarias. Segundo o levantamento realizado em todas as capitais, a gasolina mais barata do País está em Macapá (AP), onde era cobrado um preço médio de R$ 3,989 por litro na semana passada. Entre as capitais do Nordeste, a gasolina mais em conta está em São Luís (MA), com preço médio de R$ 4,66.

Ranking da gasolina entre as capitais

NATAL/RN R$ 5,172

RIO BRANCO/AC R$ 5,161

RIO DE JANEIRO/RJ R$ 5,089

PALMAS/TO R$ 5,02

TERESINA/PI R$ 4,865

GOIÂNIA/GO R$ 4,849

MACEIÓ/AL R$ 4,841

BRASÍLIA/DF R$ 4,841

PORTO ALEGRE/RS R$ 4,826

CAMPO GRANDE/MS R$ 4,811

PORTO VELHO/RO R$ 4,79

BELÉM/PA R$ 4,777

ARACAJU /SE R$ 4,773

JOAO PESSOA/PB R$ 4,743

BELO HORIZONTE/MG R$ 4,742

RECIFE/PE R$ 4,74

FORTALEZA/CE R$ 4,728

SALVADOR/BA R$ 4,664

SAO LUÍS/MA R$ 4,662

CUIABÁ/MT R$ 4,614

MANAUS/AM R$ 4,579

FLORIANÓPOLIS/SC R$ 4,565

BOA VISTA/RR R$ 4,478

SÃO PAULO/SP R$ 4,406

CURITIBA/PR R$ 4,356

MACAPÁ/AP R$ 3,989

De acordo com o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier, o fato de Natal ter a gasolina mais cara do Nordeste  não tem relação com os impostos cobrados pelo Governo do Estado. “As alíquotas de ICMS que incidem sobre os combustíveis no RN são iguais às cobradas nos demais estados do NE (Nordeste). Portanto, não é a tributação estadual que justifica essa discrepância”, afirmou em entrevista à 98 FM.

O Instituto Municipal de Defesa do Consumidor de Natal (Procon) informou nesta segunda-feira (1) que notificou postos de combustíveis da cidade após ter recebido denúncias de preços abusivos. Consumidores apontam que os postos aproveitaram os recentes aumentos anunciados pela Petrobras para subir o preço nas bombas.

Segundo o órgão de fiscalização, as empresas notificadas precisam apresentar o valor cobrado antes do reajuste, percentual do reajuste aplicado a cada tipo de combustível comercializado, metodologia e critérios utilizados para definição do percentual e planilha que contenha item que compõem a formação do preço, bem como os tributos incidentes. Com essas informações, ele avalia se há ou não justificativa para o aumento.

O diretor-geral adjunto do Procon, Ney Lopes Júnior, explica a necessidade da ação. “Nossas equipes já estão nas ruas realizando esse trabalho. Recebemos dezenas de denúncias e não poderíamos deixar de notificar os estabelecimentos já que, por exemplo, em estados vizinhos a gasolina e bem mais barata”, afirma.

Nas últimas duas semanas, o preço da gasolina comum subiu duas vezes nas refinarias. Com isso, o combustível acumula alta de 13,4% em 2021. Em Natal, no mesmo período, o litro do produto subiu em média R$ 0,30.

Além do Procon, o Ministério Público do Rio Grande do Norte também informou que vai investigar os recentes aumentos. O órgão destacou que recebeu uma reclamação, junto à Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, a respeito do atual aumento nos preços dos combustíveis nos postos da capital potiguar.

Com isso, será aberto um procedimento para apurar a reclamação. Além disso, a Promotoria relembrou que, no órgão, já existia um procedimento antigo sobre cartel no setor de combustíveis, que foi arquivado, e ainda uma ação judicial, que foi julgada improcedente.

Apesar da ação do MPRN, o preço da gasolina pode permanecer acima do normal para os natalenses. Isso porque não havia fiscalização por parte do Procon Natal, que estava com o serviço parado na cidade até a última segunda-feira (25).

Diante das denúncias informais, pelas redes sociais, o Procon estadual (Procon-RN) se comprometeu a fiscalizar situações abusivas aos consumidores que realizarem denúncias formais. Na próxima semana, acontecerá uma ação nos postos do interior do estado, mas Natal ficará de fora, de acordo com o coordenador-geral do Procon-RN, Thiago Silva.


Ler Anterior

Saiba quem é e como pensa Arthur Lira, o novo presidente da Câmara

Ler Próximo

Butantan estima que 100 milhões de doses da Coronavac serão entregues até agosto