Achamos um desrespeito do Seturn não colocar 100% da frota no horário de pico, diz vereador

Na última terça-feira (23), Lopes foi barrado ao tentar entrar em um garagem de uma empresa de ônibus de Natal para fiscalizar o cumprimento da lei que determina a limpeza dos veículos após cada viagem

Vereador de Natal Anderson Lopes (Solidariedade). Foto: Reprodução

O vereador de Natal Anderson Lopes (Solidariedade) criticou em entrevista à 98 FM nesta sexta-feira (26) o posicionamento do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (Seturn) em relação ao restabelecimento de 100% da frota de ônibus na capital. O parlamentar, que é vice-presidente da Comissão de Transportes, Legislação Participativa e Assuntos Metropolitanos da Câmara de Natal, disse que apesar de entender que o momento é difícil para todos devido à pandemia de Covid-19, o Sindicato deveria repor 100% da frota pelo menos em horários de maior movimento.

“O número de passageiros diminuiu bastante, tanto pelo momento econômico que vive o país, quanto pelos aplicativos, enfim nós entendemos tudo isso, mas achamos um desrespeito do Seturn não colocar pelo menos 100% da frota no horário de pico”, disse.

O vereador comentou a decisão do Tribunal de Justiça do Estado que determinou que a Prefeitura de Natal restabelecesse 100% da frota de ônibus, o prazo dado para o cumprimento da medida era a última quarta-feira (24). A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) institui através de uma ordem de serviço, que as empresas paguem o valor de R$ 159,62 por cada viagem não realizada, a medida começou a valer no dia 16 de março. 

“Nós vamos cobrar da Secretaria, vamos enviar requerimentos solicitando quantas empresas foram multadas e quantas multas estão sendo geradas por dia”, afirmou.

Na última terça-feira (23), Lopes foi barrado ao tentar entrar em uma garagem de uma empresa de ônibus de Natal para  fiscalizar o cumprimento da lei de autoria do parlamentar que determina a limpeza dos veículos após cada viagem. O vereador contou que foi mal recebido por responsáveis pela empresa e como protesto posicionou o seu carro em frente ao portão do local.

“Bastava somente que fossem abertos os portões para que a gente pudesse ver de perto se, de fato, estava sendo feita a higienização como determina a lei. Por tudo que já vem acontecendo, por todos os desrespeitos que algumas empresas de ônibus já vem tendo com a população, e com a Justiça também, nós resolvemos fazer um protesto”, explicou.

Anderson disse ainda que conseguiu constatar em quase todas as empresas que o procedimento estava sendo feito nas garagens. Além da empresa que o impediu de realizar a fiscalização, outra não o convenceu muito, por só ter um único funcionário para higienizar toda a frota após cada turno. 

“Essa é uma preocupação que nós temos não só com os passageiros, mas com os colaboradores das empresas. É o mínimo que estamos pedindo nesse momento, já quem nem a Justiça conseguiu obrigar que as empresas coloquem de volta 100% da frota, nem que seja nos horários de pico”, disse.

Lopes contou que conversou com o secretário Paulo César da STTU e que foi informado que o órgão não teria quadro suficiente para fiscalizar a higienização da frota. O parlamentar disse ainda que pretende continuar fazendo blitz surpresa nas empresas para verificar se a lei está sendo de fato cumprida.

Sobre colocar 100% da frota nas ruas, Seturn informou por meio de nota no dia 5 de março, que as empresas não teriam condições operar com 100% dos ônibus em razão da incapacidade financeira de assumirem os custos. Eles alegaram ainda que “o desequilíbrio econômico-financeiro sistematicamente imposto às empresas operadoras do serviço de transporte por ônibus já era insustentável, desde a redução no número de passageiros em março de 2020 em função da pandemia do coronavírus”.


Ler Anterior

Compositor é barrado em vacinação por não estar de carro

Ler Próximo

Presidente da FNF diz que há chances do Campeonato Potiguar ser retomado