Anvisa dispensa registro para vacinas que forem enviadas pela OMS

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, decidiu nesta terça-feira (9) que vacinas compradas pelo Ministério da Saúde por meio da Covax Facility estão dispensadas da exigência de registro e de autorização temporária de uso emergencial.

O Covax é uma iniciativa promovida pela Organização Mundial da Saúde, OMS, que prevê a distribuição global de doses de vacinas contra a Covid-19 e prevê doses também para países mais pobres.

De acordo com a agência, a decisão “reduz a duplicação de esforços regulatórios”. Potenciais vacinas que tenham passado por “avaliação regulatória equivalente à desempenhada pela Anvisa” devem contar com confiabilidade da parte do Brasil.

O Brasil deve receber 10,6 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 pela Covax no primeiro semestre. O acordo do país com a OMS, para receber um total de 42 milhões de doses, tem o valor de R$ 2,5 bilhões.


Ler Anterior

Após proibição de eventos, hotéis do RN terão ocupação de 65% na semana do Carnaval

Ler Próximo

Ricardo Valério teme colapso financeiro no América e diz que só pode “continuar se a torcida estiver do nosso lado”