Anvisa retira exigência de estudo em fase 3 para vacina contra Covid

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, vai modificar os requisitos mínimos para pedidos de uso emergencial de vacinas para Covid-19 nesta quarta-feira (3). A partir da mudança dessa mudança, a Anvisa não fará mais a exigência de que a vacina esteja com testes na fase 3 sendo realizados no Brasil.

A farmacêutica que pediu a liberação provisória da vacina russa Sputnik V e ainda não conseguiu a autorização para o estudo com o imunizante no país. A União Química via essa exigência como uma barreira.

Mesmo sem autorização para iniciar os testes no Brasil, a Sputnik V está com pedido de uso emergencial pendente na Anvisa desde meados de janeiro. Na época, o pedido foi suspenso pela agência.

A mudança não retira a exigência de apresentação de outros documentos pendentes pelo laboratório União Química, representante no Brasil, mas elimina uma barreira para a aprovação do imunizante desenvolvido na Rússia.

Essa alteração pode viabilizar também um pedido de uso emergencial pela Bharat Biotech, empresa indiana responsável pelo desenvolvimento da Covaxin. A Anvisa informou que irá se pronunciar sobre a decisão ainda nesta quarta-feira (3).


Ler Anterior

Álvaro Dias confirma obra da engorda da orla de Ponta Negra após reunião com Bolsonaro

Ler Próximo

RN deve receber novo lote com 60 mil doses de vacina contra Covid até a sexta-feira (5)