Apesar de déficit de vagas, Natal não corre risco de colapso no sistema funerário, diz Semsur

Para suprir a falta de vagas, a Semsur disse que está trabalhando na elaboração do projeto de construção de túmulos verticais no Cemitério do Bom Pastor II, com previsão de mil gavetas

Em janeiro a cidade registrou 220 sepultamentos e em fevereiro foram 184, segundo a Semsur. — Foto: Prefeitura de Natal

Mesmo com déficit vagas e com alta de casos de Covid-19, os cemitérios públicos de Natal não correm risco de colapso, segundo a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur). De acordo com a Secretaria, a média de sepultamentos nos oito cemitérios públicos da cidade não sofreu significativas alterações nos dois primeiros meses de 2021. Em janeiro a cidade registrou 220 sepultamentos e em fevereiro foram 184, segundo a Semsur.

Para suprir a falta de vagas, a Semsur disse que está trabalhando na elaboração do projeto de construção de túmulos verticais no Cemitério do Bom Pastor II, com previsão de mil gavetas. O projeto está na fase de preparação e seguirá para a licitação que será feita pela Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov).  Sem as vagas na capital, a opção é sepultamento em vagas provisórias, ou em outro equipamento fora de Natal, ou em cemitérios particulares.

A pasta informou que atualmente está realizando o sepultamento de vítimas de Covid-19 para famílias que possuem jazigo nos oito cemitérios do município. Já o sepultamento das vítimas que não possuem túmulo está sendo feito no Cemitério Morada da Paz (zona Norte), por meio de um convênio firmado entre a Secretaria Municipal de Saúde e o Grupo Vila.

Nesta sexta-feira, o RN confirmou 4.084 óbitos por Covid-19, 14 mortes ocorreram e foram notificadas nas últimas 24 horas, dessas, 8 foram em Natal.

 


Ler Anterior

SAFERN avalia suspensão do Campeonato Potiguar de Futebol

Ler Próximo

Volkswagen suspende produção no Brasil por causa do avanço da pandemia