BUSCAR
BUSCAR
Após eliminação do Mossoró, Miluir Macedo afirma que “características dos jogadores não bateram com o que eu queria”

Apontado como um dos favoritos ao acesso, o Mossoró Esporte Clube acabou se transformando como uma das decepções do certame, ao lado do Alecrim. O treinador Miluir Macedo ( foto ) depois da derrota para o Potyguar e eliminação do Estadual da Segunda Divisão, falou sobre o trabalho

“As características dos jogadores tem muito a ver com o trabalho que o treinador pretende incutir no grupo. A caracteristica dos jogadores não “bateu” com o que eu queria para o grupo”.

Ao blog da jornalista Larissa Maciel, o diretor de futebol do MEC e responsável pela montagem do elenco, Edinho Cardoso avaliou o fracasso do time

“Avalio como decepcionante. Por toda a estrutura que foi dada, pelo planejamento, campo, ônibus, casa do atleta, pagamento em dia e lógico que ficamos decepcionados.No futebol existe um termo chamado “caça as bruxas”, mas o Mossoró não trabalha dessa forma. Eu boto assim como principal responsável eu mesmo, por eu ter idealizado esse grupo. Já montei grupos que deram certo. Em 17 e 18, nós chegamos. Se existe um responsável, pra mim sou eu. Claro que com a concordância do presidente e do treinador. Mas estou de cabeça erguida tentando fazer o melhor”.

WILSON

Sobre a situação do meia, Edinho também comentou o cenário de bastidores. Inicialmente surgiu a informação de que o jogador poderia atuar contra o Potyguar de Currais Novos na última quinta (30), no entanto, essa informação foi rechaçada pelo clube.

O atleta testou positivo para a COVID-19 há mais de 15 dias e deveria cumprir quarentena. No entanto, segundo informações, o mesmo atuou por futebol amador e isso teria chateado a direção do Carcará.

“O Mossoró Esporte Clube tem um posicionamento definido há mais de uma semana e que só falaríamos após uma classificação ou não. Existem comentários de pessoas e de redes sociais de que o profissional vem jogando em zona rural, em Aspetro, em vários locais e, ao olhar da diretoria do Mossoró e de qualquer dirigente isso é inadequado para um profissional de futebol. O contrato existe e o zelo pelo lado profissional é do jogador. Se isso ocorreu ou se vem ocorrendo, ele é quem deve fazer uma avaliação para com sua carreira. Tudo quem vem ocorrendo a bastidores, se for verdade, o mesmo tem que fazer uma autocrítica”

 

Rua Carlos Chagas, 3466, Candelária, Natal/RN
(84) 4009-9898
[email protected]