BBB será interrogado após acusação de estupro e agressão física

Compartilhe esse post

Fonte: Correio

Acusado de agressão e estupro, o biólogo e coordenador educacional Vanderson Britto, 35, será ouvido pela polícia nos próximos dias. Confinado na casa do Big Brother Brasil, o participante prestará depoimento mesmo se ainda estiver no reality show, segundo informou a Polícia Civil do Rio de Janeiro, por meio de sua assessoria de imprensa.

Após Maíra Menezes, 27, acusar o ex-namorado de agressão, outras três mulheres registram novos Boletins de Ocorrência contra Vanderson, na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher Vítima de Violência de Rio Branco (Deam-Acre). As denúncias foram feitas por agressão física, estupro e importunação ofensiva ao pudor.

Ao jornal Extra, a delegada titular da Deam, Juliana de Angelis Carvalho, disse que já solicitou o interrogatório de Vanderson à Polícia Civil. A prisão preventiva do participante está descartada, por enquanto. “Neste momento, a permanência dele no programa fica a cargo da emissora. Ele está sendo investigado, não condenado”, disse a delegada ao Extra.

Por meio de comunicado, a Globo informou que é contra qualquer tipo de agressão e que a expulsão do participante não é impossível. “A Globo é veementemente contra qualquer tipo de violência, mas cabe às autoridades competentes a apuração de denúncias como a que está sendo feita. Se assim for, a Globo poderá tomar medidas, como já fez em outras edições do programa”, informou em nota.

Vencedora do BBB 2018 foi contra
Campeã do BBB18, a campeã Gleici Damasceno usou o Twitter para anunciar que não ia torcer por Vanderson, um dos paticipantes escolhidos para o BBB19. Em seu perfil, ela explicou o porquê: “Agressor de mulher não vai ter vez comigo”, escreveu a acreana.

Gleici chegou a anunciar torcida pelo participante, mas voltou atrás ao descobrir a denúncia de agressão feita pela ex-namorada de Vanderson. “Agressor de mulheres no BBB. Imagina você abrir seu celular cheio de mensagens de amigas perguntando como eu estava. O rosto do meu agressor estava por toda parte, por toda a internet. Meu Deus, só eu sei o que eu vivi”, disse Maíra à revista Quem, na época.


Compartilhe esse post

Ler Anterior

Especialistas veem com cautela limite de mensagens no WhatsApp

Ler Próximo

Líder opositor da Venezuela declara-se presidente interino e é reconhecido pelos EUA

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Envie uma mensagem para o setor responsável.
WeCreativez WhatsApp Support
98 FM
Pedir Música
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Flávio Amorim
Comercial
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Sheyla
Vendas
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Vanessa
Vendas
Acessível