BUSCAR
BUSCAR
Brasil brilhou no skate na noite do décimo quarto dia de Olimpíada
Pedro Barros. Foto: Reuters

Skate

Estreando como esporte olímpico nesta edição dos Jogos de Tóqui, o skate park levou três brasileiros para final das disputas por medalha na noite de ontem (40): Luiz Francisco, Pedro Quintas e Pedro Barros.

Quem conquistou a medalha foi o catarinense Pedro Barros (imagem de destaque), que ficou com a prata, com a nota de 86,14 pontos, logo na primeira tentativa, no Parque de Esportes Urbanos de Ariake. Luiz Francisco terminou em quarto, com 83,14 pontos, e Pedro Quintas, ficou em oitavo com 38,47.

Ginástica rítmica

Os Jogos de Tóquio estão chegando ao fim, mas ainda tem estreia pela frente. Nesta sexta-feira (6), a ginástica rítmica brasileira começa sua jornada rumo ao pódio inédito. A etapa qualificatória por equipes começa às 22h20 (horário de Brasília) na Ariake Arena, na capital japonesa.

O quinteto brasileiro conta com Duda Arakaqui Beatriz Linhares, Déborah Medrado, Geovanna Santos e Nicole Pircio. A primeira meta é pontuar o suficiente para garantir a classificação à final, quando apenas as primeiras oito colocadas brigarão por medalhas. A final será no sábado (7), às 23h.

Brazil, Rhythmic Gymnastics | Gymnastics Pan American Championships Rio2021 | Jun13 | Rio de Janeirio, Brazil | Photo: Ricardo Bufolin / Panamerica Press / CBG - ginástica rítmica
Equipe brasileira de ginástica rítmica – RICARDO BUFOLIN 2021/direitos reservados

Saltos ornamentais

O piauiense Kawan Figueiredo e o carioca Isaac de Souza são os últimos atletas da equipe nacional dos saltos ornamentais a estrear na Olimpíada. O primeiro desafio será passar pela etapa qualificatória a partir das 3h (horário de Brasília) desta sexta-feira (6).

Os brasileiros competem com outros 27 competidores, e apenas 18 deles seguirão à semifinal, programada para sábado (7), às 22h.  Os classificados brigam por medalhas na sequência, às 3h de domingo (8), dia de encerramento da Tóquio 2020.

Trofeu Brasil de Saltos Ornamentais, realizado no Parque Aquatico Maria Lenk. 05 de Abril de 2018 - Isaac de Souza
Isaac de Souza estreia hoje nas Olimpíadas de Tóquio – Satiro Sodré/SSPress/CBDA/Direitos Reservados

Boxe

05.08.2021- Jogos Olímpicos Tóquio 2020 - Disputa da semifinal do boxe com a atleta Beatriz Ferreira do Brasil  na Arena Kokugikan Foto: Miriam Jeske/COB
Beatriz Ferreira vai disputar ouro no domingo – Miriam Jeske/COB

Os baianos Beatriz Ferreira e Hebert Conceição estão nas finais do boxe na Olimpíada de Tóquio (Japão). Atual campeã mundial, a peso-leve brasileira avançou após vencer a finlandesa Mira Potkonen, na categoria até 60 quilos, por decisão unânime dos árbitros (5 a 0). Na disputa masculina, Conceição superou o atual campeão mundial Gleb Bakshi, do Comitê Olímpico Russo (ROC, na sigla em inglês), por 4 a 1, também por decisão dos juízes. Ambos os duelos ocorreram na madrugada desta quinta-feira (5) na Arena Kokugikan, na capital japonesa.

A final feminina será às 2h (horário de Brasília) de domingo (8), dia do encerramento dos Jogos de Tóquio. Já a disputa pelo ouro na categoria masculina será no sábado (7), às 2h45 (horário de Brasília), contra o ucraniano Oleksandr Khyzhniak.

Canoagem

Isaquias Queiroz, Regata, Remo, Panamericano, Perú -
Isaquias Queiroz disputa hoje a classe C1 1000m individual- Pedro Ramos/ rededoesporte.gov.br

O baiano Isaquias Queiroz tem a esperança de subir ao pódio na canoagem, classe C1 1000m individual. A luta por medalha começa às 21h52 (horário de Brasília), de hoje, no Canal Sea Forest, no centro de Tóquio.

Além dele ser o atual campeão mundial da classe (2019), na Rio 2016 Isaquias se tornou o brasileiro que mais colocou medalha no peito na história em apenas uma edição dos Jogos. Na ocasião, levou duas medalhas de prata (C1 1000m e C2 1000m) e uma de bronze (C1 200m).

Vôlei masculino

A seleção brasileira de vôlei masculino deu adeus ao sonho do ouro olímpico, na madrugada desta quinta-feira. Os brasileiros foram derrotados de virada pelo Comitê Olímpico Russo (ROC, na sigla em inglês) por 3 sets a 1, com parciais de 18/25, 25/21, 26/24 e 25/23. A partida foi realizada na Arena de Ariake, na capital Tóquio. A luta pelo bronze será à 1h30 (horário de Brasília) deste sábado (7), contra a Argentina. A França, que derrotou os argentinos, vai disputar o ouro contra os russos.

Jogadores da seleção brasileira após derrota para a Rússia na Olimpíada de Tóquio
Jogadores da seleção brasileira após derrota para o Comitê Olímpico Russo – Reuters/Carlos Garcia Rawlins/Direitos Reservados

Atletismo

“Foi uma temporada totalmente atípica em 2020. Tivemos de improvisar muito para manter a forma
“Foi uma temporada totalmente atípica em 2020. Tivemos de improvisar muito para manter a forma”, disse Darlan Romani. – Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

Darlan Romani ficou em 4º lugar entre os 12 participantes da final da prova de arremesso do peso na Olimpíada. A disputa ocorreu na noite de ontem no Estádio Olímpico. A melhor marca do atleta catarinense foi 21,88 metros (m), alcançada na primeira tentativa.

O paulista Felipe dos Santos fechou a participação brasileira na 18ª posição no decatlo disputado hoje. Ele somou 7.880 pontos. A última prova realizada foi a de 1500m rasos.

No revezamento 4×100 metros (m), tanto a equipe masculina como a feminina não avançaram para a final. A equipe masculina, formada por Rodrigo do Nascimento, Felipe Bardi, Derick Silva e Paulo André Camilo, terminou a 1ª bateria das eliminatórias na 5ª posição com o tempo de 38s34 (a 12ª melhor marca no geral), na madrugada de hoje, no Estádio Olímpico.

Já a feminina, formada por Bruna Farias, Ana Cláudia Lemos, Vitoria Rosa e Rosângela Santos, terminou a 2ª bateria das eliminatórias na 5ª posição, com o tempo de 43s15.

Na marcha atlética de 20km, o brasiliense Caio Bonfim foi o brasileiro mais bem colocado, encerrando a prova na 13ª colocação, com o tempo de 1h23min21s. A disputa aconteceu no Parque Sapporo Odori, no centro da cidade de Sapporo.

Marcha Atletica -  20km
Marcha atlética de 20km – Kim Hong-Ji/Reuters/direitos reservados

E o atletismo brilhou de novo na noite (horário do Japão) de ontem. O canadense Andre De Grasse acrescentou um ouro a uma coleção crescente de medalhas ao vencer a prova dos 200 metros (m); o Quênia teve uma dobradinha nos 800m masculinos e Peruth Chemutai fez história para Uganda.

Tudo isto veio na sequência de outro grande recorde mundial, nos 400m com barreiras, pela manhã, quando Sydney McLaughlin derrotou a norte-americana Dalilah Muhammad na pista super-rápida, e a nova tecnologia de carbono dos calçados continuou a fazer troça das comparações históricas.

Tênis de Niklas Kaul, da Alemanha, em Tóquio 2020
Tênis de Niklas Kaul, da Alemanha – Lucy Nicholson/Reuters/ Direitos reservados

Futebol feminino

A seleção feminina de futebol dos Estados Unidos conquistou a medalha de bronze na Olimpíada de Tóquio nesta quinta-feira, quando Megan Rapinoe e Carli Lloyd marcaram dois gols cada na vitória por 4 x 3 sobre a Austrália em Kashima. Suécia e Canadá se enfrentam no jogo pela medalha de ouro nesta quinta-feira (5).

Megan Rapinoe comemora com Carli Lloyd gol marcado na decisão da medalha de bronze da Tóquio 2020 entre Estados Unidos e Austrália -
As norte-americanas Megan Rapinoe e Carli Lloyd comemoram gol marcado na decisão da medalha de bronze do futebol feminino, contra a Austrália – REUTERS/Edgar Su/Direitos reservados

Atletas paralímpicos embarcam para Tóquio

A Olimpíada só termina no domingo, mas a Paralimpíada de Tóquio, que começa no próximo dia 24, já é realidade para cerca de 130 integrantes da delegação brasileira. Na madrugada de hoje, as seleções paralímpicas de natação, tênis de mesa, halterofilismo e goalball, além de membros das comissões técnicas, médica e administrativa, embarcaram rumo à sede dos Jogos.

Embarque do nadador Daniel Dias para a Paralimpíada de Tóquio 2020.
Embarque do nadador Daniel Dias para a Paralimpíada de Tóquio 2020 – Divulgação/Daniel Dias

Atleta refugiada

A velocista bielorrussa Krystsina Tsimanouskaya chegou à Polônia ontem, na condição de refugiada, ao se recusar a retornar a seu país, após participar de competições da Olimpíada, em uma saga que lembra as deserções esportivas da Guerra Fria.

O caso envolvendo a atleta de 24 anos pode isolar ainda mais a Bielorrússia, que está sob sanções financeiras e econômicas do Ocidente após o recrudescimento da repressão do presidente Alexander Lukashenko contra a oposição desde o ano passado.

Krystsina Tsimanouskaya no aeroporto em Tóquio - visto humanitário - velocista - Bielorrússia - Belarus - Olimpíada
Krystsina Tsimanouskaya chegou à Polônia ontem – REUTERS/Issei Kato/Direitos Reservados

Rendimento de atletas

O Núcleo Aplicado de Psicologia do Esporte (Nape), do Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), dedicado ao estudo de atletas de alto rendimento, mostra que a psicologia pode contribuir para o aprimoramento da performance desses atletas em diferentes formas de atuação. “Essa é a ideia central do nosso laboratório, que existe há seis anos na Uerj”, disse à Agência Brasil o coordenador do Nape, professor Alberto Filgueiras. Alguns atletas que estão disputando os Jogos Olímpicos, no Japão, participaram dos estudos.

Olimpíada, Tóquio 2020, Ana Marcela Cunha, maratona aquática
Ana Marcela Cunha levou ouro na maratona aquática – Jonne Roriz/COB/Direitos reservados

Covid-19

O Japão decidiu hoje ampliar as restrições de emergência contra a covid-19 para cobrir mais de 70% da população, já que uma disparada recorde de casos sobrecarregou hospitais na sede olímpica Tóquio e em outras partes do país.

Passageiros usando máscaras na estação de Shinagawa, em Tóquio
Estação de Shinagawa, em Tóquio – Reuters/Kevin Coombs/Direitos Reservados

Fonte: Agência Brasil

Rua Carlos Chagas, 3466, Candelária, Natal/RN
(84) 4009-9898
[email protected]