Mulher de 41 anos pode ter sido morta durante ritual macabro

(Foto: Reprodução)

A mulher de um promotor do estado de Minas Gerais pode ter ocorrido dentro de um ritual religioso macabro, segundo fontes ligadas a investigação. Lorenza de Pinho, 41 anos, foi morta no dia 2 de abril, em Belo Horizonte. O marido, o promotor André Luiz de Pinho, foi denunciado pelo Ministério Público como autor do crime.

Segundo a perícia do IML, o corpo quase não tinha sangue, mas não havia perfurações visíveis nas artérias. As informações são do G1.

O legista conseguiu extrair apenas 25 ml de sangue para realizar os exames toxicológicos e de dosagem de álcool. O normal seria encontrar cinco litros, em média, no corpo de uma mulher de peso normal, de acordo com o legista Marcelo Mares Castro.

A pedido do Ministério Público, a Polícia Civil de Minas investigou se o casal frequentava algum local onde eram praticadas atividades de cunho religioso.

*Por Metrópoles