Rogério Caboclo,presidente da CBF: “Lamentavelmente, o vírus não tem meu celular para combinar uma data para parar com tudo isso”,

O dirigente garantiu a conclusão dos Estaduais, mas não fez o mesmo quanto a fórmula do Brasileiro A e B

Presidente da CBF, Rogério Caboclo, garantiu conclusão dos Estaduais. Foto: CBF

Em reunião por videoconferência com dirigentes de clubes das Séries A e B na tarde desta terça-feira (7), o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, garantiu que a entidade pretende finalizar todos os campeonatos de 2020, apesar da paralisação das disputas por causa da pandemia de coronavírus. A informação foi obtida pelo jornal O Dia.

Caboclo assegurou que o calendário da entidade prevê a finalização dos estaduais. Por outro lado, o cartola disse não ser possível assegurar que o Brasileirão terá 38 rodadas, em pontos corridos, conforme a fórmula original da competição.

A ideia inicial da reunião, por parte dos dirigentes dos clubes, era iniciar um plano de retomada dos jogos dos estaduais, que aconteceriam com portões fechados e transmissões pela TV. No entanto, Caboclo deixou claro que a bola só volta a rolar no país após a CBF receber o aval do Ministério da Saúde.

Já sobre a fórmula do Brasileirão, Caboclo não garantiu que a disputa tenha 38 rodadas, em jogos de ida e volta e campeão por pontos corridos.

O discurso da Caboclo

“Em relação ao calendário, a CBF nada disse até hoje sobre data para retornar as atividades, pois seria irresponsável e precipitado. O nosso discurso é: voltaremos no primeiro dia possível depois que as autoridades de saúde nos permitirem isso. Temos fórmulas para cada semana em que isso for autorizado. Vou dar exemplo: se for na primeira semana de junho, temos fórmula. Se for na segunda semana de junho, temos fórmula, e a partir daí temos todos os estudos possíveis para tornar realidade as conclusões de todas as competições em 2020. Queremos fechar o calendário de 2020 e garantir que todos os contratos sejam cumpridos. Eu gostaria que nós tivéssemos um alinhamento de discurso para que não criássemos perante à imprensa uma expectativa diferente. Não demos um prazo porque não somos autoridades sanitárias. Então, é o primeiro dia possível diante das regras normativas das determinações do Ministério da Saúde. No primeiro dia possível, voltaremos com responsabilidade as atividades. O objetivo é: concluir todas as competições previstas em 2020. Se possível, durante esse ano, caso contrário alargaremos um pouco, mas o importante é a conclusão. Essa é a mensagem que eu gostaria de dar aos senhores de tranquilidade. Na medida que a gente consiga retornar, nós vamos cumprir o calendário e os valores dos contratos serão cumpridos também.”
Após a palavra de Caboclo, Andrés Sanches, presidente do Corinthians, ressaltou a importância para os clubes que o Campeonato Brasileiro tenha 38 rodadas:
“Para deixar bem claro que o Brasileiro tem 38 rodadas. A gente não vai abrir mão disso. Isso é muito importante para cumprir todos os contratos. O Campeonato Brasileiro terá 38 rodadas?”
Caboclo, em seguida, respondeu:
“Seria muito simples dizermos isso. Mas infelizmente não sabemos se nós voltaremos em junho, em julho, em agosto ou em setembro. Então, antecipar que garantimos 38 rodadas, neste momento não é possível. É o desejável. Vamos dizer que é tudo que nós queremos. Faremos o impossível e o impossível. Mas não podemos declarar que nós vamos fazer. Não temos prazo para dizer e decretar alguma coisa que a gente não consegue cumprir. Eu tenho falado para algumas pessoas. Lamentavelmente, o vírus não tem o meu celular para combinar uma data para parar com tudo isso. Vamos fazer o possível e o impossível para cumprir todo o calendário. Só para não esquecer, eu queria falar sobre ajuda financeira também. A CBF fez uma antecipação aos árbitros. Deverá fazer outra no mês que vem de cotas. A CBF já antecipou aos clubes da Série B algo em torno de 12 milhões de reais. Em relação a Série C e D, que são desprovidas de cotas, por uma questão de justiça, assim como a Série A 1 e 2 do Feminino, destinamos uma cota de 19 milhões de reais para esses clubes, que são os menos favorecidos e mais 3,5 milhões de reais para as Federações. Ou seja, a CBF já contribui em investimento e antecipações cerca de 36 milhões de reais até esse momento.”

Ler Anterior

Coronavírus: Interior de São Paulo relaxa quarentena e acelera contágios

Ler Próximo

Coronavírus: Mortes diárias na Espanha crescem para 757