ABC, vaga no G8 é possibilidade real

Foto: Rennê Carvalho

Por meses, o ABC viveu, talvez, uma das piores fases de sua gloriosa história. No estadual, o torcedor teve de ver o time sequer chegar na semifinal do segundo turno, no campo de jogo. Foi, graças a escalação irregular de um atleta, por parte do Baraúnas. Na Copa do Nordeste, caiu na primeira fase. Na Copa do Brasil, foi eliminado, de forma prematura, para o Brusque/SC.

Veio o campeonato brasileiro da série C e a situação parecia irreversível: nas 4 primeiras rodadas, nenhuma vitória obtida. O time já figurava na zona de rebaixamento e parecia caminhar a passos largos para o temido rebaixamento para a série D.

O cenário de terror mudou no último domingo, com a vitória por 4 a 0, fora de casa, diante do Ferroviário/CE. Hoje, o ABC já é décimo segundo. Está a somente 4 pontos de distância do G8 da competição – bloco que garante classificação para a segunda fase da competição.

Apesar de ter sido apenas um jogo, a vitória renovou a confiança dos jogadores e do treinador Roberto Fonseca. Os nomes que participaram do fiasco do estadual, estão cada vez mais distantes. Na última partida, dos 11 iniciais, apenas 3 deles foram titulares: Richardson, Daniel e Erick Varão.

A fragilidade das laterais, foi sanada com as chegadas de Felipe Albuquerque, Manoel e Lucas Sampaio. Na defesa, apesar de protagonizarem um gol bizarro “contra”, Pedro Paulo e Eduardo Thurram elevaram o nível do setor. Mesmo na fase ruim, o ABC perdeu apenas de 1 gol de diferença para o Athletic, líder e sensação do campeonato.

O esquema, com 3 volantes, e a saída de Wallyson, tornou o time mais compacto e competitivo, sem e com a bola. O futebol do volante Matheus Blade, Pedro Felipe e Gabriel Santiago cresceu, fazendo a bola chegar em Jenison, que é um centroavante de oficio. Foi apenas um jogo, mas, claramente, o time passou a ser mais letal. Algo fundamental no futebol moderno.

Agora, o ABC enfrenta dois times que estão na parte baixa da tabela. Primeiro, sábado, encara o Confiança/SE, no estádio Batistão. Na sequência, em casa, enfrenta o Floresta/CE, lanterna da competição. São 6 pontos em disputa. Com eles no bolso, o Mais Querido pode entrar ou, pelo menos, colar ainda mais no G8.

Para garantir a consistência da atuação passada, também nos próximos jogos, a diretoria está no mercado. Pretende contratar zagueiro, meia e outro atacante. A ideia é tornar o elenco mais robusto, dando mais opções para Roberto Fonseca na segunda etapa das partidas.