Com as últimas chuvas registradas no RN, sementes começam a ser entregues

Compartilhe esse post

Começa hoje a distribuição das sementes aos agricultores familiares cadastrados no programa Banco de Sementes 2020. Neste primeiro momento, serão entregues sementes a produtores rurais de Mossoró, Pau dos Ferros e Umarizal. Ao todo, o projeto realizará a entrega de 253,4 toneladas de sementes a mais de 52 mil agricultores cadastrados pelo Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). O repasse é feito pela Secretaria Estadual de Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape) com apoio da Emater e custará aos cofres públicos um investimento de R$ 3,4 milhões.

Dos grãos que começarão a ser entregues nesta terça-feira, 4, o milho corresponde à maior quantidade, com 113 toneladas distribuídas (correspondente a 44,66% do total) das variedades Potiguar e Cruzeta. Também serão distribuídas 71 toneladas de feijão das variedades Riso do Ano e Potiguar; além de 69,2 toneladas de sorgo SF 15. Segundo o titular da Sape, Guilherme Saldanha, as sementes chegam num excelente período de chuvas regulares, e devem atender às necessidades do pequeno produtor rural. “As sementes chegam ao agricultor no momento certo, para que ele possa cultivar seu roçado, manter seu rebanho e ainda comercializar excedentes”, reforça Saldanha.

Ainda de acordo com o secretário, o Rio Grande do Norte conta com 1.614 bancos de sementes que estão distribuídos em 159 municípios potiguares. Eles atendem a 52.565 produtores rurais que foram cadastrados pela Emater/RN. As sementes de milho, feijão e sorgo são destinadas principalmente ao plantio de subsistência e forragem animal.  As variedades dos grãos distribuídos foram escolhidas mediante adaptações às condições climáticas do Rio Grande do Norte, o que permite precocidade e produção com baixo índice pluviométrico, resultado de um longo trabalho de pesquisas realizadas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com a Emparn.

Os estoques são repostos pelos técnicos da Emater no final de cada safra. A filosofia do programa, segundo a Sape, requer que os agricultores realimentem os bancos com as sementes produzidas. No entanto, a dificuldade, em virtude da seca tem exigido que o governo reponha plenamente esses estoques.

Recentemente, no último dia 31 de janeiro, o Governo do Estado também deu início à distribuição de sementes de tradição através do programa Estadual de Sementes Crioulas. O repasse foi o  primeiro do governo estadual para agricultores familiares com o intuito de manter as culturas tradicionais. Na primeira etapa, foram entregues sementes de milho, feijão, sorgo, castanha de caju, fava e arroz vermelho. O programa foi lançado em setembro do ano passado e é fruto de uma parceria da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Rural (Sedraf) e com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que é vinculada ao Minsitério da Agricultura e conta com a participação de outros órgãos da esfera estadual e federal.
Reservatórios começam a encher

Após as chuvas que caem no Rio Grande do Norte desde o início do ano, os pequenos reservatórios (aqueles com capacidade de até 5 milhões de m³) começam a dar sinais de acúmulo de água em cidades do interior do RN. Segundo monitoramento do  Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), a barragem Dinamarca, reservatório de 2,7 milhões de metros cúbicos responsável pelo abastecimento da cidade de Serra Negra do Norte, no Seridó potiguar, foi o primeiro manancial a transbordar. Em comparação com o ano passado, quando  o primeiro reservatório a transbordar foi registrado no dia 21 de fevereiro, o panorama é mais animador.

Em relação aos grandes reservatórios, apesar de não haver registro de acúmulo de águas após as chuvas deste final de semana, o cenário não é de pessimismo. Na Barragem Marechal Dutra, conhecida popularmente como Açude Gargalheiras, em Acari, este início de ano foi o primeiro que o seridoense pôde ver a paisagem registrando acúmulo de água, algo que não era visto desde o acentuamento da seca registrada nos últimos anos. Atualmente, o reservatório está com 3.006.307 de metros cúbicos de armazenamento de água o que corresponde a 6,77% da capacidade total, que é de 44.421.480 de m³. No mês passado, inclusive, foi registrado o melhor volume desde 2014, quando o Igarn monitorou que o reservatório estava com cerca de 7,37% de sua capacidade total.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do Estado, com capacidade para 2,37 milhões de metros cúbicos, atualmente está com 531.601.489 m³ de acúmulo de água, o que corresponde a 22,4% do seu volume total. No mesmo período de fevereiro de 2019 o reservatório estava com 483.348.133 m³, correspondentes a 20,14% da sua capacidade total.

Outros reservatórios receberam boas recargas, com relação à última semana. Casos de Tourão, localizado em Patu, com capacidade para 7.985.249 m³, que teve um acréscimo de cerca de 4% no seu volume acumulado e Santo Antônio de Caraúbas, com capacidade para 8.538.109 m³, que também deve um aumento de volume na média dos 4%. Outros mananciais receberam recargas inferiores a 1% nos seus volumes.

Ao todo, as reservas hídricas superficiais totais do Rio Grande do Norte possuem 959.315.595 m³ de acúmulo de água, percentualmente, 21,91% da capacidade total das bacias potiguares, que é de 4.376.444.842 m³. No mesmo período do ano passado, o volume total das reservas hídricas monitoradas era inferior: 938.433.105 m³, percentualmente, 21,44% da capacidade total.

Dos 47 reservatórios monitorados pelo Igarn, 12  permanecem com menos de 10% das suas capacidades, considerados em nível de alerta; e 6 estão secos.

Chuvas
De acordo com o boletim pluviométrico da Emparn, o final de semana foi de chuvas que superaram os 100 milímetros em quatro cidades do interior potiguar. O município com a maior precipitação foi Rafael Godeiro, no Oeste potiguar, com 133,4 mm de chuvas entre a sexta-feira, 31, e segunda, 3, justamente o período de monitoramento da empresa vinculada ao Governo do Estado.

Também no Oeste, estão outros dois municípios que registraram fortes precipitações: Olho D’água dos Borges (129,7 mm) e Martins (119,4). No Agreste, Parazinho também contou com chuvas que ultrapassaram a barreira dos 100 milímetros (112,1 mm).

A análise da equipe técnica da Emparn é que as chuvas devem continuar também nesta semana em todas as regiões do RN. “A atuação da Zona de Convergência Intetropical associada a presença de um Vórtice Ciclônico de Altos níveis indicam a ocorrência de chuvas em todas as regiões do RN nesta semana”, afirma o chefe da unidade, Gilmar Bristot.

Números
100 mm de chuvas e até mais um pouco foram registrados em cidades do interior do Estado nos últimos dias.
47 reservatórios são monitorados pelo Igarn, e desses, 12 permanecem com menos de 10% de suas capacidades.
Fonte: Tribuna do Norte

Compartilhe esse post

Ler Anterior

Emparn registra chuvas de até 133,4 milímetros no fim de semana no RN

Ler Próximo

COMENTÁRIO: Salatiel comenta sobre ambulâncias presas no Walfredo Gurgel

Envie uma mensagem para o setor responsável.
WeCreativez WhatsApp Support
98 FM
Pedir Música
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Flávio Amorim
Comercial
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Sheyla
Vendas
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Vanessa
Vendas
Acessível