BUSCAR
BUSCAR
Covid-19: Israel se prepara para possível aplicação de quarta dose da vacina

Israel está se preparando para garantir que haja fornecimento de vacina suficiente caso uma quarta rodada de vacinas de Covid-19 seja necessária, disse a principal autoridade de saúde do país neste domingo, o Diretor Geral do Ministério da Saúde, Nachman Ash.

— Não sabemos quando isso vai acontecer. Espero muito que não seja dentro de seis meses, como agora, e que a terceira dose dure mais tempo — disse Ash em entrevista à Rádio 103FM, uma emissora israelense.

Israel, que usou principalmente a vacina Pfizer/BioNTech, imunizou até agora cerca de 2,8 milhões de pessoas com a terceira dose depois de iniciar uma campanha para administrar vacinas de reforço em agosto. Autoridades de saúde disseram que os efeitos das doses iniciais do imunizante contra a Covid-19 enfraquecem cinco meses após a inoculação, tornando necessários reforços.

Os EUA e o Reino Unido planejam começar a oferecer doses de reforço no final deste mês, enquanto a Europa também está considerando a terceira dose. Isso ocorre no momento em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) implora por uma suspensão para as terceiras doses. O Diretor-Geral Tedros Adhanom Ghebreyesus disse na semana passada que os governos deveriam esperar pelo menos até o final deste ano para que os países mais pobres possam ter melhor acesso às vacinas.

Além daqueles que receberam reforços, cerca de outros 2,7 milhões dos 7 milhões de israelenses elegíveis tomaram a segunda dose e cerca de 500 mil foram vacinados apenas com a primeira. Quase 1 milhão de pessoas não receberam nenhuma dose da vacina.

O país, que já foi o favorito na corrida global contra a Covid-19, tornou-se um foco de pandemia no início de setembro. Seguindo a propagação da variante Delta durante o verão no hemisfério Norte, Israel teve a maior taxa de infecção per capita do mundo na semana até 4 de setembro, de acordo com números compilados pela Universidade Johns Hopkins.

Ash disse na semana passada que as injeções de reforço parecem ter interrompido o aumento de infecções. A taxa de casos graves por 100 mil habitantes entre as pessoas não vacinadas é muito mais alta do que entre aquelas que receberam duas doses da vacina, mostrando que, mesmo com a imunidade em declínio, as vacinas fornecem alguma proteção contra doenças graves.

Questionado sobre um relatório de que Israel havia prometido à Pfizer que usaria exclusivamente a vacina da empresa, Ash disse que o governo não havia assumido tal compromisso. Ele disse que pessoas com mais de 18 anos que tomam suas primeiras injeções estão atualmente recebendo a vacina da Moderna.

Fonte: Agora RN


WHATS 98 FM

Quer receber notícias na palma da sua mão? É muito fácil. Para ficar bem informado, mande um “oi” agora mesmo para o nosso WhatsApp e fique atualizado.

Fale conosco: 99998-9898

 

Rua Carlos Chagas, 3466, Candelária, Natal/RN
(84) 4009-9898
[email protected]