Empresário do ramo de academias defende maior fiscalização do setor na pandemia

O empresário Horácio Oliveira, diretor da academia Pulse em Natal, disse que a atividade física é serviço essencial e defendeu o uso de máscara dentro dos estabelecimentos

 Empresário Horácio Oliveira, diretor da academia Pulse. Foto: 98 FM

O empresário Horácio Oliveira, diretor da academia Pulse em Natal, defendeu que o poder público aumente a fiscalização dos estabelecimentos do cumprimento das normas sanitárias de combate a Covid-19 no Estado. Em entrevista ao Repórter 98 desta segunda-feira (5), Oliveira disse que a atividade física é serviço essencial e falou sobre a importância do uso de máscara dentro dos estabelecimentos. O setor, que estava fechado desde o dia 20 de março após o decreto estadual mais restritivo entrar em vigor, voltou a funcionar hoje, mas ainda com alterações das 6h às 20h das segundas aos sábados, sem abrir aos domingos.

“Eu já sou fiscalizado pelos meus alunos, e reconhecido pelos meus alunos, mas existem outras [academias] que não estão fazendo isso, então esse é o grande problema. Se a gente pegar a média dos cuidados das academias tem muitas que não estão fazendo isso e acaba prejudicando quem está fazendo corretamente”, disse.

Oliveira destacou a importância da atividade tanto para a saúde física, quanto a mental, levando em consideração os transtornos causados pela pandemia. O empresário disse que durante o fechamento da academia disponibilizou atendimentos online gratuitamente aos alunos.

O diretor da Pulse afirmou que a empresa está sendo extremamente rigorosa com o uso de máscara e só é permitido tirar a proteção dentro das dependências da academia para beber água. Outra medida adotada no estabelecimento, seguindo os protocolos determinados pelo decreto estadual, é a limpeza contínua do ambiente. Oliveira destacou ainda que a Pulse optou por manter a ocupação abaixo do determinado pelo Governo.

“O decreto fala em 6,25m² por pessoa, a gente fez um cálculo na Pulse, temos 3.500m² de área de academia, podemos atender até 160 pessoas por hora, e hoje estamos trabalhando com 60 pessoas”, disse.

Polêmica das academias

  • O decreto do Governo do RN junto a Prefeitura de Natal foi publicado na quinta-feira, 18 de março, e a abertura apenas de atividades consideradas essenciais, a partir do dia 20 de março até o dia 2 de abril, as academias não estavam incluídas nos estabelecimentos autorizados a abrir.
  • Ainda no dia 18, o prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB) publicou um vídeo em suas redes sociais dizendo que as academias poderiam funcionar porque havia uma lei municipal que classificava o setor como atividade essencial.
  • No dia seguinte, sexta-feira (19), a governadora Fátima Bezerra e o Álvaro Dias se reuniram com representantes do Ministério Público do Estado (MPRN), o Ministério Público Federal (MPF-RN) e o Ministério Público do Trabalho (MPT-RN) e definiram o cumprimento do decreto.
  • Na noite de sexta-feira (19), o desembargador João Rebouças autorizou o funcionamento das atividades das academias em Natal. A decisão atendeu a um mandado de segurança impetrado pelo Conselho Regional de Educação Física do Rio Grande do Norte.
  • No sábado (20), o  presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, deferiu a Medida Liminar do Ministério Público do RN, e manteve a suspensão das atividades nas academias e congêneres até o próximo dia 4 de abril.
  • Decreto estadual que entrou em vigor nesta segunda-feira (5), permitiu a abertura das academias das 6h às 20h.


Ler Anterior

Em março, 52% dos pacientes que passaram por UTIs-Covid no RN tinham menos de 60 anos

Ler Próximo

Auxílio Emergencial 2021: 1ª parcela começa a ser paga hoje; veja calendários