Faltou competência dentro de campo

ABC e América vão amargar mais uma temporada na última divisão do Brasileiro, o que é ruim para todo mundo

Uma hora vamos encontrar a luz no fim do túnel. Foto: Divulgação

Ficar procurando culpados para o fracasso dos dois principais times do Rio Grande do Norte no Brasileiro da Série D não resolve nada. O fato concreto e definitivo é que os dois foram incompetentes e estão pagando o preço. Não existe nada além disso, a incompetência de ABC e América, um eliminado na primeira fase e outra na reta de chegada.

O ABC a partir do desmanche do time que foi Campeão Estadual não repôs as substituições em nível pelo menos próximo dos que saíram. Optou pelo barato, por jogadores pagos por empresários e que não resolveram. O time alvinegro foi se desmanchando ao longo da competição e deu no que deu. Menos mal para o ABC que pelo Estadual conseguiu garantir um calendário que contempla Copa do Nordeste e Copa do Brasil, além da Série D.

Situação do América é mais complicada, na medida em que o calendário está resumido ao Estadual, Copa do Brasil e Série D. Ainda com o presidente Leonardo Bezerra e depois com Ricardo Valério, o clube conseguiu manter as finanças em dia, montou um elenco caro para a realidade do que estava disputando e que foi classificado pelo próprio Valério como folha de pagamento com “valores proibitivos” para a Série D, mais de 400 mil reais.

Quando você olha para as equipes que subiram, Altos, Floresta, Mirassol e Novorizontino, quatro clubes sem torcida, sem apelo, sem projeção e sem o “peso” de ABC e América, mas que tiveram o que faltou aqui, competência dentro de campo, produto em falta na dupla potiguar.

Os caras não gostam, mas é assim que vejo. No caso do América para completar o golpe, Paulinho Kobayashi ídolo como jogador de futebol e que marcou história com a camisa rubra mostrou que ainda está longe de ser um treinador com o mesmo sucesso que teve como jogador.

Não soube sair da melhor estratégia do Floresta, perdeu na Arena Castelão com uma apatia estranha, muito estranha e repetiu essa mesma apatia na Arena das Dunas. Diferente do time cearense o América não vibrou, não incorporou o tamanho da decisão que tinha pela frente, nem na ida e nem na volta.

Dizer que o time montado pelo América é ruim tecnicamente não é verdade, mas é um time frio, sem alma, sem sangue, sem vibração. Que mais uma vez não soube jogar a Série D, diferente do Altos, do Floresta, do Mirassol e do Novorizontino.

Agora é juntar os cacos e encarar a dureza de mais uma temporada na Quarta Divisão do Brasileiro e o futebol da 98 vai junto. Em 2020/2021 foram milhares de quilômetros percorridos de carro, de ônibus e de avião. Onde jogaram ABC e América a 98 estava na área. Cumprimos a nossa missão, mas não jogamos e nem contratamos. Transmitimos os fatos, os jogos, as emoções do futebol.

ABC e América enterrados na Série D é ruim para toda a cadeia do futebol que gera empregos diretos e indiretos, é muito ruim, mas segue o jogo.

Que venha a temporada 2021 com o Estadual, Copa do Brasil com ABC e América, Copa do Nordeste com ABC e Série D com ABC e América, pela quinto ano,  e que os dois maiores clubes de futebol do RN encontrem a tão sonhada luz no final.

 

 


Ler Anterior

Após artigo polêmico, ministro diz que pedirá abertura de inquérito contra jornalistas

Ler Próximo

Eleitor que não votou no 1º turno tem até esta semana para justificar ausência