BUSCAR
BUSCAR
Fátima diz que “nunca existiram armários” na sua vida, mas que “luta” por minorias importa mais que sua intimidade
Governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT) – Foto: Elisa Elsie / Governo do RN

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), afirmou nesta sexta-feira (2) que “nunca existiram armários” em sua vida pública ou privada, mas que considera sua orientação sexual menos relevante que suas ações em prol da diversidade e da defesa dos direitos de minorias como a população LGBTQIAP+.

Em uma sequência de publicações no Twitter um dia após o governador Eduardo Leite (PSDB-RS) se assumir gay, a governadora potiguar deu rara declaração sobre sua vida íntima e, sem citar casos do passado, lembrou de ter sido vítima – durante sua trajetória política – de ações de preconceito por se relacionar com outra mulher. Ela não expôs qual orientação sexual a define.

“Na minha vida pública ou privada nunca existiram armários. Sempre demarquei minhas posições através da minha atuação política, sem jamais me omitir na luta contra o machismo, o racismo, a LGBTfobia e qualquer outro tipo de opressão e de violência”, escreveu a governadora do RN.

E complementou: “Os mandatos que recebi do povo, de deputada estadual, deputada federal, senadora e, agora, de Governadora do meu Estado, o RN, sempre estiveram à disposição das lutas civilizatórias.”

Fátima Bezerra afirmou que “as denominadas minorias são, por vezes, maioria da sociedade, mas pouco representadas politicamente”. “Tenho orgulho de sempre ter representado essa luta e consciência de que, mais do que nossa condição humana, importa à sociedade as nossas ações para transformar o mundo em um lugar melhor para viver com justiça, dignidade, e direitos iguais para todas e todos”, ressaltou.

Leia os tweets:

Eduardo Leite se assume

A declaração de Fátima Bezerra acontece no momento em que o País repercute a revelação de que o governador Eduardo Leite (Rio Grande do Sul) é homossexual. Em entrevista ao programa “Conversa com Bial”, da TV Globo, o governador falou sobre o assunto pela primeira vez publicamente.

“Eu nunca falei sobre um assunto que eu quero trazer pra ti no programa, que tem a ver com a minha vida privada e que não era um assunto até aqui porque se deveria debater mais o que a gente pode fazer na política, e não exatamente o que a gente é ou deixa de ser”, explica. Nas palavras do governador, “nesse Brasil com pouca integridade a gente precisa debater o que se é”.

Ele destacou: “Eu sou gay. E sou um governador gay, e não um gay governador, tanto quanto Obama nos Estados Unidos não foi um negro presidente, foi um presidente negro. E tenho orgulho disso.”

Rua Carlos Chagas, 3466, Candelária, Natal/RN
(84) 4009-9898
[email protected]