Francisco Diá na 98FM: ” Se eu ainda estiver no ABC na Série D do Brasileiro”

Treinador alvinegro falou sobre o clássico contra o América e não cravou a permanência no ABC para o Brasileiro

Francisco Diá faz mistério sobre escalação do ABC. Foto: ABC FC

Francisco Diá, treinador do ABC, participou do Tocando a Bola da 98 na última sexta-feira (28) e falou sobre o clássico de amanhã (31) das dificuldades para montar a equipe e em dois momentos falou sobre a possibilidade de sair do ABC.

A forma de jogar contra o América

” Posso mudar a forma de jogar. Nós tínhamos uma maneira de jogar vamos enfrentar um adversário que tem quatro cinco jogadores em casa posição e quem vem de um grande jogo contra o Juventude. O América tem mudado, o América tem jogado com uma linha de três volantes fazendo um 4-3-3- bem adiantado, optando por dois jogadores de extrema velocidade eu estive vendo os dois tempos, tem um lateral que chegou agora de muita qualidade. O América tem quatro ou cinco jogadores em nível de Série B, é um time de Série B jogando uma D. Está reforçando muito mais, mas o ABC tem um conjunto. O América teve a felicidade de ter jogado mais partidas, de treinar mais, está com ritmo e a gente tem que superar tudo isso”.

O clássico

“Clássico é motivação. Sempre joguei de acordo com o adversário, tenho certeza que o América não vem pensando que vai ser um jogo mole, vai ser um jogo duro e eu penso que ele vem com a equipe que começou a segunda parte do jogo contra o Juventude e eu trabalhei em cima da equipe que ele fez no segundo tempo. Não costumo esconder escalação mas esse é um jogo diferente, o América mudou a forma de jogar e a gente tem que manter uma postura diferente para tentar surpreender nesse clássico”

Wallyson

” Queria eu ter essa alegria de poder contar com Wallyson. Jogador sete meses sem atuar, é um jogador que vem treinando a parte física mas falta ritmo de jogo para a gente poder contar com esse atleta, mas em uma decisão como essa não tenho condições. Fica muito difícil você poder contar com ele agora”.

Jogadores em testes

” São pedidos da diretoria que você tem que atender. Eu não gosto ( fazer testes ) dentro da competição, fica até chato você não tem como observar jogadores. Mas são pedidos do presidente  esses dois atletas que estão ai, eu costumo fazer uma vez por semana trazer uma vez por semana um garoto das bases para observar, mas jogador que passou dos 20 anos não.  Se eu ainda estiver no ABC na Série D do Brasileiro vocês vão ver um garoto chamado Ivanaldo, um meia muito bom que já tinha passado nas categorias de base do base do ABC e resgatei  vou pedir a contratação dele. Mas jogadores que já são profissionais eu não gosto de fazer testes mas como foi um pedido do presidente nós temos que atender. Não gosto de trazer jogadores para testes dentro da competição”.

O futuro

” Você sabe  que treinador vive de resultados. Eu tive o título do campeonato maranhense, tive o acesso com o Sampaio, classifiquei o time na Copa do Nordeste e ai no Brasileiro da Série B perdi duas partidas seguidas e fui demitido. Eu cheguei no ABC com uma rejeição muito grande mas nunca deixei de trabalhar. Foi uma surpresa muito grande para mim contar  dentro da equipe com o Gustavo Cartaxo que queira ou não queira fez um grande trabalho na montagem do elenco, junto com todos. Nunca reclamamos nada com ninguém, então a gente quer ser premiado com o título mas se não for, muitas vezes você não é reconhecido independente do trabalho realizado”

Currículo, rejeição e elogios

“Já vi muito profissionais que passaram por aqui e sem desmerecer nenhum, poucos tem o currículo que eu tenho seis títulos fora de Natal e tenho três acessos e eu cheguei no ABC com um índice de rejeição muito alto, os números falam por si e muitas vezes a gente não é reconhecido. Futebol é resultado e você vê profissionais ai que nunca ganharam nem torneio de colégio se empregando toda a semana”

” Quero elogiar os preparadores físicos, o Venâncio, o Ricardo e o Vitor. O time sobrou fisicamente na competição e não acredito que time  nenhum no Brasil corra mais do que o meu e por isso o América está pedindo exame antidoping”

 

 


Ler Anterior

Apenas Pará, RJ, RS, SC e SP têm previsão para reabrir escolas da rede estadual

Ler Próximo

Empresa brasileira vai produzir ventilador desenvolvido pela Nasa