‘Fui teimoso e não queria aceitar’, diz Cauan sobre diagnóstico de Covid-19

O cantor Cauan Máximo foi liberado da UTI e ainda está em recuperação no hospital

Foto: Reprodução CNN

Liberado da UTI e ainda em recuperação no hospital, o cantor Cauan Máximo, da dupla com Cleber, afirmou ao canal CNN, nesta terça-feira (25), que demorou a buscar ajuda médica por ter sido “teimoso” em relação à Covid-19, que, segundo ele, evoluiu rapidamente.

“Tive os primeiros sintomas numa sexta. Fiz os exames na segunda e, na terça, já sabia que estava infectado. Tenho um irmão que é médico e me cobrou muito nesse final de semana em que tive os sintomas”, disse ele.

“Fui um pouco teimoso e atrasei para procurar ajuda médica naquele início. Foi um pouco de teimosia e acabou que demorei uns dias”, relembrou o cantor, que já foi internado na enfermaria na terça-feira e passou para a Unidade de Terapia Intensiva logo em seguida.

Sem comorbidades e habituado a praticar exercícios físicos, Cauan disse que a doença evoluiu muito rápido e que espera entender, no futuro, os motivos que o levaram a ficar em estado grave devido ao novo coronavírus. “Aconteceu muito rápido o desenvolver da doença. Era uma coisa que eu não aceitava”, disse.

O cantor chegou a ter 75% dos pulmões comprometidos pela Covid-19. A mãe dele, Shirlei Máximo, e o pai, João Luiz Máximo, estão internados. João Luiz está em estado grave e teve comprometimento parcial dos pulmões. “Meu pai está na situação mais difícil”, informou ele, que pediu que os fãs direcionem as orações para João.

Em relação à alta médica, o cantor estima que pode ser liberado totalmente do hospital nos próximos dias. “Dependerá dos resultados dos exames que fiz hoje, mas os parâmetros clínicos estão positivos, então tudo indica que nos próximos dias estarei em casa”, comemorou.

Segundo ele, a prioridade agora é a recuperação dos pais e dar continuidade ao tratamento, que envolverá pelo menos dois meses de fisioterapia.

“Logo em seguida, a vida que segue e Deus vai direcionar tudo da melhor forma possível. Minha maior preocupação no momento não é voltar a cantar ou fazer live. Profissionalmente, não é esse o propósito ainda do momento”, disse. “O mais importante é voltar à vida normal de uma forma diferente”.

O artista de 38 anos fez uso de vários medicamentos, incluindo antibióticos e anticoagulantes, além de ter passado pelo tratamento com plasma convalescente. Ele teve alta da UTI na segunda-feira (24) e se recupera sob observação no quarto da unidade.

Fonte: CNN Brasil


Ler Anterior

Conselho do MP pune procuradora por posts ofensivos a Bolsonaro

Ler Próximo

Mais um potiguar no Governo Bolsonaro