Futebol cumpre normas estabelecidas por autoridades sanitárias do Estado e Munícipio

Atividade é realizada sob controle e sem a presença de público nos estádios

Desde que o futebol foi retomado no Brasil, com a conclusão da Copa do Nordeste em julho do ano passado, ele é uma atividade que vem sendo desenvolvida sem a presença de público e mais, respondendo e respeitando normas estabelecidas pelas autoridades sanitárias dos Estados e Munícipios, correto?

Assim sendo, entendo que o novo Decreto do Governo do RN que entrará em vigor no próximo sábado (20) com medidas mais duras para combater a pandemia da Covid-19 não atinge o futebol profissional, não alcança o Campeonato Estadual de Futebol.

Leia também

Diretor médico da CBF: ” Atividades que se protegeram, como o futebol, acabaram sendo penalizadas. O futebol não gera isso”

CBF, Federações e clubes asseguram manutenção das competições

Além disso, parar o futebol – a CBF já afirmou e reafirmou que as competições que ela organiza não vão parar – significa um golpe fatal na maioria dos clubes do Brasil. Por mais que as pessoas queiram colocar o futebol como uma atividade econômica secundária ou sem relevância, o futebol é uma grande indústria sem chaminés, que gera empregos diretos e indiretos e que gera receita para Estados e  Municípios.

Outro dia fiz aqui e  repito, o futebol é a “máscara” e o “álcool gel” é uma forma segura de amenizar os efeitos do recolhimento obrigatório imposto no Brasil.

 


Ler Anterior

Novo decreto fecha shoppings, bares, restaurantes e academias; confira na íntegra

Ler Próximo

Governo prorroga prazos de reembolsos de shows e pacotes turísticos