Lixo em praias do RN e da Paraíba pode ter chegado ao mar após inundações em Recife

No RN, os resíduos foram encontrados em Nísia Floresta, Tibau do Sul, Canguaretama e Baía Formosa, no Litoral Sul do Estado

Os resíduos foram encontrados em Nísia Floresta, Tibau do Sul, Canguaretama e Baía Formosa. Foto: Idema-RN

Inundações na área urbana de Recife podem ter causado o aparecimento quase 40 toneladas de lixo doméstico e hospitalar nas praias do Rio Grande do Norte e na Paraíba nos últimos dias. A capital de Pernambuco registrou fortes chuvas entre os dias 9 e 14 de abril, e acumulou 343 milímetros de chuva, mais que a média prevista para o mês, de 326 mm, segundo a Agência Pernambucana de Água e Clima. No RN, os resíduos foram encontrados em Nísia Floresta, Tibau do Sul, Canguaretama e Baía Formosa, no Litoral Sul do Estado.

Segundo o presidente da Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma), Welison Silva, que é também secretário do Meio Ambiente de João Pessoa, materiais com identificação de procedência no lixo, como uma mochila escolar, santinhos de um candidato a vereador e restos de correspondência com endereço de Recife, reforçam a hipótese dos resíduos terem sido levados pelas águas das chuvas.

A segunda semana de abril registrou o maior índice de chuvas em Pernambuco, e a cidade sofreu fortes inundações, houve alagamentos e queda de barreiras em toda a região metropolitana. No bairro Cohab, na zona sul da capital, um homem foi levado pela correnteza – o corpo foi encontrado no último domingo, 25.

O secretário disse que não houve outro evento que possa explicar a chegada de aproximadamente 40 toneladas de lixo nas praias do litoral. “Fizemos inspeções aéreas e marítimas, incluindo a foz de rios, e nada foi encontrado que pudesse indicar a origem dos resíduos em território paraibano”, disse.

De acordo com Silva, os alagamentos podem ter carregado lixo urbano da região metropolitana de Recife para o mar e as correntes marítimas teriam levado o material para pontos mais distantes da costa. O material recolhido inclui objetos de uso pessoal e doméstico, como chupetas, fraldas, chinelos, vasilhas e garrafas plásticas, além de lixo hospitalar, incluindo seringas descartadas, tubos para coleta de sangue e embalagens de medicamentos. Foi encontrado lixo nas praias do RN, próximas da divisa com a Paraíba.

A Secretaria de Infraestrutura de Recife disse que desde o início do ano, investiu mais de R$ 90 milhões em ações para prevenção e monitoramento das áreas de risco, além de limpeza de canais e eliminação de pontos de alagamento. Foram retiradas 3,7 mil toneladas de resíduos de 50 canais e 168 vias públicas, galerias e canaletas para prevenir enchentes.

O Consórcio Nordeste anunciou, na manhã desta terça-feira (27), a criação de uma rede de apoio entre os Estados para combater o lixo do mar e estabelecer medidas emergenciais devido ao aparecimento dos resíduos no litoral do RN e da Paraíba. Divulgada por meio de nota, as iniciativas visam reforçar os trabalhos de análise do material encontrado nas praias, identificação do responsável pelo descarte irregular e reparação dos danos ambientais.

*Com informações do Estadão


Ler Anterior

Assembleia do RN aprova criação do Dia de Conscientização e Combate às Fake News

Ler Próximo

Advogado morre em acidente de parapente em praia do litoral do RN