Médica Ludmila Hajjar recusa convite para Ministério da Saúde

Foto: Reprodução TV Globo

A cardiologista Ludhmila Hajjar recusou o convite para assumir o Ministério da Saúde “principalmente por motivos técnicos”. A médica é supervisora da área de Cardio-Oncologia do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e coordenadora de cardiologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo.

“Fiquei muito honrada pelo convite do presidente [Jair] Bolsonaro, tivemos dois dias de conversas, mas infelizmente acho que esse não é o momento para que eu assuma a pasta do Ministério da Saúde por alguns motivos, principalmente por motivos técnicos”, afirmou nesta segunda-feira (15).

Segundo ela, o que o governo esperava não se encaixa no seu perfil, qualificação e linha que segue. “Penso pra isso neste momento, para reduzir as mortes, tem que reduzir a circulação das pessoas, de maneira técnica e respaldada por dados científicos.”, afirmou.

A médica também afirma que “É desejo meu que quem vá substituir o Pazuello tenha autonomia. Depende uma mudança do governo, do que pensa sobre a pandemia.”

Ludhmila participou de reunião com o presidente Jair Bolsonaro no último domingo (14). A médica era o principal nome para assumir o Ministério após saída de Eduardo Pazuello. Na manhã desta segunda (15), o atual ministro confirmou, através de nota, que segue no cargo até quando o presidente permitir.

*Com informações complementares do G1


Ler Anterior

Rio Grande do Norte tem queda no isolamento social com aglomerações no fim de semana

Ler Próximo

Congresso promulga PEC que viabiliza auxílio emergencial