Médico explica se quem contraiu coronavírus no intervalo da vacinação deve tomar a 2ª dose

A primeira dose da vacina oferece alguma proteção, mas não tanto quanto as duas doses, então há a possibilidade de contrair o vírus no intervalo entre as aplicações da vacina

A primeira dose da vacina oferece alguma proteção, mas não tanto quanto as duas doses. Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Como já se sabe as vacinas contra Covid-19 aplicadas no país funcionam em duas doses, o imunizante da Coronavac tem o intervalo de 28 dias entre as duas doses, já a vacina de Oxford/Astrazeneca são 90 dias de distanciamento maior entre a primeira e a segunda injeção. O médico Albert Dickson explicou no quadro “Saúde em Dia” do programa 12 Em Ponto 98 desta segunda-feira (3), que quem contraiu o coronavírus nesse período entre as doses precisa tomar a última dose do imunizante de toda forma.

“Na verdade quando você teve é como se fosse uma dosagem da vacina, então o ideal é tomar mais uma dosagem, se tomou uma e teve um intervalo pode sem nenhum problema tomar outra ou não vai ter efetividade a vacina”, afirmou o médico.

Segundo o médico, é preciso esperar os 30 dias após a primeira dose para depois receber a segunda. A primeira dose da vacina oferece alguma proteção, mas não tanto quanto as duas doses, então há a possibilidade de contrair o vírus no intervalo entre as aplicações da vacina.


Ler Anterior

Prefeito de Parnamirim admite que escolas não estão preparadas e defende volta às aulas presenciais só após vacinação de professores

Ler Próximo

Ator Paulo Gustavo tem piora após sofrer embolia