“Não me arrependo”, diz Sara Winter em vídeo ao sair da prisão

A ativista afirma que ainda não sabe o motivo que a levou para cadeia e que foi uma “presa política”. Ela está com tornozeleira eletrônica

Compartilhe esse post

A bolsonarista Sara Winter, 28 anos, divulgou um vídeo na madrugada desta quinta-feira (25/06) após deixar a Penitenciária Feminina do Distrito Federal, onde ficou presa por 10 dias. Na gravação, a ativista afirma que ainda não sabe o motivo que a levou para cadeia. Afirma que foi “presa política” e que não se arrepende de “lutar pelo Brasil”.

Líder do grupo 300 do Brasil, Sara passou a usar tornozeleira eletrônica para sair da prisão.

“Boa noite, Sara Winter. O que sobrou da Sara e o que está renascendo da Sara. Foram 10 dias baixo uma prisão arbitrária que até agora não sei o motivo. Hoje, uma pessoa, enquanto eu colocava a tornozeleira eletrônica, me perguntou: Sara você se arrepende? Não, eu não me arrependo. Pelo meu país, eu faria o necessário”, disse a jovem aos seguidores no Twitter.

Ela afirma que ainda está abalada, mas “luta por um país justo e soberano”. Sabem citou pelo que teria passado na prisão. “Foram dias muito horríveis. A pior coisa é você ser apoiador do presidente Bolsonaro em um presídio. Você escuta ameaças horríveis contra você e contra seus familiares”, denunciou.

Restrições

Posta em liberdade nessa quarta-feira (24/06), monitorada por tornozeleira eletrônica, a ativista precisa seguir ao menos 20 determinações da Justiça para não voltar à cadeia.

Para cumprir a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, em substituir a prisão temporária da bolsonarista por medidas cautelares, a juíza da Vara de Execuções Penais (VEP), Leila Cury, determinou o cumprimento de diversas determinações.

Sara e outros cinco integrantes do movimento 300 do Brasil não poderão sair de casa, exceto para buscar atendimento médico; não podem fazer ingestão de bebidas alcoólicas ou ficar incomunicáveis. Sara Winter precisa manter o telefone ligado e estar disponível para acompanhamento do Centro Integrado de Monitoração Eletrônica (Cime).

Sara Winter estava presa havia 10 dias e deixou, na tarde dessa quarta-feira (24/06), a Penitenciária Feminina do Distrito Federal, mais conhecida por Colmeia, no Gama. Ela estava detida por ameaçar o ministro do STF Alexandre de Moraes.

Fonte: Portal Metrópoles


Compartilhe esse post

Ler Anterior

Brasil é o único país que após 100 dias de Covid-19 não achatou a curva

Ler Próximo

Confiança da construção recupera parte das perdas de março e abril

Envie uma mensagem para o setor responsável.
WeCreativez WhatsApp Support
98 FM
Pedir Música
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Flávio Amorim
Comercial
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Sheyla
Vendas
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Vanessa
Vendas
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Peça uma Pizza
Acessível