Polícia procura a esposa e faz operação em casa de parentes de Queiroz em Belo Horizonte

Márcia Oliveira de Aguiar é considerada foragida da Justiça, e suspeita é que ela tenha usado imóvel para se esconder

Compartilhe esse post

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e o Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM) iniciaram, na manhã desta terça-feira (23) em Belo Horizonte, uma operação na casa da madrinha de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, em busca da mulher dele, Márcia Oliveira Aguiar, que está foragida.

A operação, feita em parceria com o Ministério Público do Rio de Janeiro, ocorre no bairro São Bernardo, na Região Norte de Belo Horizonte.

Queiroz foi preso no começo da manhã de quinta-feira (18) em Atibaia, no interior de São Paulo. As investigações apontavam que ele poderia ameaçar testemunhas e outros investigados e tentar dificultar a apuração dos fatos relacionados à “rachadinha” na Alerj, em suposto esquema que ele operava.

No mesmo dia da prisão de Queiroz, foi decretada a prisão da mulher dele, que é cabeleireira e também foi assessora do então deputado Flávio Bolsonaro. Márcia não se apresentou à polícia e não foi encontrada.

Os mandados desta terça são de busca e apreensão, mas Márcia pode ser presa caso seja encontrada, por causa da ordem de prisão expedida na quinta. Ao todo, os mandados foram cumpridos em quatro endereços.

Márcia era uma das funcionárias fantasmas do gabinete de Flávio Bolsonaro e passou a cumprir papel importante como operadora de esquema após o sumiço de Queiroz em meio às investigações do caso. Num caderno, foi identificado que ela chegou a receber R$ 174 mil em dinheiro.

Casa da madrinha de Queiroz

Uma das casas alvo da operação em Belo Horizonte pertence à madrinha de Queiroz, dona Penha, que morreu neste mês. Agora, vivem no local primas e sobrinha do ex-assessor de Flávio Bolsonaro.

A suspeita é que a mulher de Queiroz tenha ido para essa casa. Uma das primas, Kassia, é bem próxima de Márcia e de Queiroz. No início da manhã, promotores conversavam com parentes de Queiroz na casa.

O MP já havia identificado a vontade que Márcia tinha de se esconder caso tivesse prisão decretada. As mensagens trocadas entre Márcia Oliveira e Queiroz que a Promotoria identificou em novembro do ano passado apontavam, no entanto, que a mulher gostaria de ir para São Paulo caso tivesse a prisão decretada.

Fonte: G1


Compartilhe esse post

Ler Anterior

Mais de 20 milhões de pessoas ainda não se vacinaram contra a gripe

Ler Próximo

Coronavírus: Taxa de positivo em testes indica que epidemia está subestimada no Brasil, diz OMS

Envie uma mensagem para o setor responsável.
WeCreativez WhatsApp Support
98 FM
Pedir Música
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Flávio Amorim
Comercial
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Sheyla
Vendas
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Vanessa
Vendas
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Peça uma Pizza
Acessível