Bolsonaro faz “política velha” e “se aliou a um monte de pilantra político”, afirma Styvenson

Senador Styvenson Valentim .Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Por redação

O senador Styvenson Valentim (Podemos-RN) afirmou nesta terça-feira (18) que o presidente Jair Bolsonaro faz “política velha” e “se aliou a um monte de pilantra político”.

A fala foi em resposta a uma seguidora nas redes sociais que questionou o fato de Styvenson ter assinado um pedido para que seja aberta uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) no Senado para apurar a existência de um suposto “orçamento paralelo” no governo para beneficiar aliados no Congresso.

Na manifestação, o senador aponta que colegas parlamentares que apoiaram a eleição dos novos presidentes da Câmara e do Senado – respectivamente, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG) – foram beneficiados com recursos do “orçamento paralelo”. Ele diz não estar incluído entre os agraciados.

No texto, publicado nos comentários de uma publicação no Instagram, Styvenson destacou que os únicos recursos financeiros aos quais ele tem acesso enquanto parlamentar são os das emendas regulares ao orçamento, “sem fazer toma lá dá cá”. Ele disse que não acessou as verbas envolvidas no suposto esquema do “orçamento paralelo”.

“Sra orçamento os recursos que tenho disponível são os que todos parlamentares têm direito sem fazer toma lá dá cá. Esse aí que a sra se refere foi para alguns parlamentares que votaram nas indicações do sr presidente Jair Bolsonaro para presidente da câmara e senado (por isso esquerda e direita receberam parte desse 3 bi) lembrando que eu abri o voto para presidente do senado e só não foi pro indicado do Jair”, ressaltou Styvenson.

O parlamentar do RN complementa: “Admite que teu presidente faz política velha e se aliou a um monte de pilantra político. Graças a Deus não tenho prestígio pra ter acesso a esses recursos de ministérios. Aceita isso e fica em paz”.