Pré-candidato a governador, Benes defende que RN saia do Consórcio Nordeste: “Nada de positivo”; VEJA VÍDEO

Deputado federal Benes Leocádio (Republicanos), pré-candidato a governador do RN – Foto: Alexandra Ferreira

O deputado federal e pré-candidato a governador Benes Leocádio (Republicanos) defende que o Rio Grande do Norte saia do Consórcio Nordeste, instrumento criado pelos nove governadores da região para fazer compras coletivas. Em entrevista nesta quinta-feira (15) à rádio 98 FM Natal, o parlamentar disse não ver “nada de positivo” na adesão do Estado ao consórcio e deu a entender que, se for eleito, vai retirar o governo potiguar da aliança.

“O consórcio que eu gostaria e poderei (fazer), se governador for, é fortalecer os consórcios de saúde. Podemos estar pensando nisso. O consórcio que administra a rede de Samu no Estado… Esse sim deve ser priorizado. Este aí (Consórcio Nordeste), desde já eu lhes digo, deve ser rescindido, desaparecer da relação federativa porque não vejo resultado para ninguém”, declarou Benes.

O deputado lembrou que, através do Consórcio Nordeste, o Governo do Estado perdeu quase R$ 5 milhões no ano passado com uma compra frustrada de respiradores. O Rio Grande do Norte antecipou o valor para uma empresa que não entregou os equipamentos nem devolveu os recursos até hoje. O caso está sob investigação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) após denúncia formalizada pelos próprios governadores da região.

“Se o RN vê R$ 5 milhões desaparecerem, voar e ninguém tem até o momento responsabilidade sobre isso, alguém vai ter que explicar qual é a razão. Então, não vejo nada de positivo na criação do consórcio em termos de resultado para o RN. Pelo contrário, negativo”, complementou.

O pré-candidato a governador defendeu, ainda, ação mais enfática dos órgãos de controle para responsabilizar os culpados pela fraude.

“Do Consórcio Nordeste, nós perguntamos o que trouxe de positivo. Nós sabemos de negativo: um prejuízo para o Estado da ordem de R$ 5 milhões. Enquanto gestor que estive, ordenador de despesa, se fosse R$ 1 de dano ao erário, os órgãos de controle estão e devem cumprir o seu papel de responsabilizar quem causou esse dano”, finalizou.

Confira o momento em que o deputado fala sobre o assunto:

 


Ler Anterior

COI alerta atletas sobre “manifestações políticas” na Olimpíada

Ler Próximo

Com 126 mortes na Alemanha e Bélgica, chuvas põem mudança climática em pauta na UE