Presidente do Bahia diz que “futebol brasileiro está de cabeça para baixo”

Para Guilherme Bellintani a MP que mudou regras dos direitos de transmissão no futebol obriga que clubes deixem de ser “preguiçosos”

Guilherme Bellintani diz que MP dos direitos de transmissões obriga que clubes deixem ser preguiçosos. Foto: Divulgação

Sobre a MP assinada pelo presidente Bolsonaro que mudou a questão dos direitos de transmissão do futebol no Brasil, garantindo ao clube mandante a negociação  do evento,  ouvi e a avaliação do presidente do Bahia, durante entrevista ao Jornal da Bahia no Ar da Rádio Metrópole e concordo plenamente com o dirigente.

Para Guilherme Bellintani, a MP vai trazer consequências importantes para o futebol

” Para mim está muito claro que o presidente Jair Bolsonaro, quando emitiu a MP, foi motivado talvez, falando um pouco da divergência dele com a Globo, talvez querendo tirar o monopólio de TV da transmissão do futebol. Mas a consequência disso é enorme e vai muito além de quebrar o monopólio”.

Histórico de dificuldades e irresponsabilidade

“Já vinha de um histórico de dificuldade grande de clubes que cometeram irresponsabilidades e gastam mais do que arrecadam com uma gestão desastrosa. Desde 2019 já tinha uma situação muito difícil. 2020, com a pandemia, se acentuou. Fecharam as torneiras de patrocinadores. Contratos de TV completamente desequilibrados e suspensos. Pagamentos sendo inviabilizados e calendário atrasado.

O dirigente fez uma avaliação otimista dos efeitos da MP

“O futebol, o que iria viver ao longo de 10 anos, vai viver em 6 meses ou 1 ano nos modelos de comercialização dos direitos, somado a isso a necessidade dos clubes serem menos preguiçosos. Está enterrada a fase da preguiça do futebol brasileiro. Os clubes estão muito acostumados a assinar contratos e esperar o dinheiro entrar. Só que cada vez mais vai estimular que a gente tenha inovação, que levante a bunda da cadeira e não fique sentado esperando o dinheiro chegar”.


Ler Anterior

Empresa eólica expande negócios no RN

Ler Próximo

Senado aprova convite a Mourão para debater Conselho da Amazônia