Projeto de Klaus para que ensino seja classificado como atividade essencial será votado quarta; Sindicato faz campanha contra

Sindicato se refere a proposta do vereador Klaus como “Projeto de Lei da Covid”. Segundo a nota do Sinte, a PL, caso aprovada, ao invés de proteger a comunidade escolar, das escolas públicas e privadas, vai colocar vidas em risco

Vereador Klaus Araújo (Solidariedade). Foto: 98FM

O projeto de lei do vereador Klaus Araújo (Solidariedade) para que o ensino seja classificado como atividade essencial em Natal, deve ser votado nesta quarta-feira (24) na Câmara, a informação foi dada pelo parlamentar no programa 12 Em Ponto 98 desta segunda-feira (22). Em resposta, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte (Sinte-RN) lançou, também nesta segunda, uma campanha nas redes sociais contra a PL de Araújo, o grupo quer que os profissionais sejam vacinados contra Covid-19 antes de voltarem as atividades presenciais. “Há coisas mais essenciais do que aulas presenciais: a vida é uma delas”, diz a ação do Sinte-RN.

Se a proposta for aprovada, as escolas públicas e privadas podem voltar a funcionar, antes que os profissionais da educação sejam imunizados. A PL defende que sejam cumpridas medidas de distanciamento social e o uso obrigatário de máscaras. De acordo com a Secretaria de Educação de Natal,  a cidade tem 74 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e 72 escolas de ensino fundamental. “O sentimento é de aprovação do projeto, escola aberta é essencial”, disse Araújo ao 12 Em Ponto 98.

O vereador disse ainda que os sindicatos ficaram em casa e não houve cobrança do Governo e da Prefeitura, e afirmou que as escolas particulares estão prontas para a volta as aulas. Ele ponderou e disse que concorda com o posicionamento do Sindicato, que reivindica que os profissionais da educação sejam vacinados prioritariamente. “Por que o Governo do Estado não comprou tablets com internet e ‘botou’ para esses jovens para não perder o Enem? Estamos perdendo mais um ano, vamos determinar a morte educacional do Brasil, especialmente no Rio Grande do Norte, por falta de investimento. Uma professora é governadora do Estado e a gente não vê uma ação de educação do Estado”, disse o vereador ao 12 Em Ponto 98.

O Sindicato se refere a proposta do vereador Klaus como “Projeto de Lei da Covid”. Segundo a nota do Sinte, a PL, caso aprovada, ao invés de proteger a comunidade escolar, das escolas públicas e privadas, vai colocar em risco a vida de professores, funcionários, estudantes e seus familiares.

De acordo com o Sinte, a campanha quer chamar atenção da sociedade para a importância de preservar a vida e permanecer em casa nesse momento crítico de pandemia da Covid-19 e reforçar a necessidade de manutenção das aulas em formato exclusivamente remoto. Com aval da categoria, o Sinte diz que a volta das aulas presenciais só deve ocorrer com a imunização de todos os trabalhadores em educação e que esta imunização deve estar associada à vacinação em massa da população.

 

 


Ler Anterior

Ministro Marco Aurélio Mello será relator da ação de Bolsonaro no STF contra estados

Ler Próximo

RN recebe 75 concentradores de oxigênio de Manaus nesta segunda-feira