RN deve somar mais 500 óbitos na primeira quinzena de abril, prevê cientista

“Em abril vamos aos 5200 óbitos na primeira quinzena. São +500 óbitos em 15 dias ao invés de 150. Avisamos: Abril será difícil”, escreveu professor José Dias

Estado chegou nesta segunda-feira (5) a 4.641 mortes pelo novo coronavírus. Foto: Governo do SC

O Rio Grande do Norte pode somar mais 500 óbitos por Covid-19 nos primeiros 15 dias de abril, segundo o astrofísico e professor José Dias do Nascimento da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e integrante do comitê científico do Nordeste no enfrentamento da Covid. O Estado chegou nesta segunda-feira (5) a 4.641 mortes pelo novo coronavírus. O cientista, que é contrário às medidas adotadas pelo novo decreto estadual de flexibilização das atividades, publicou a projeção em sua conta no Twitter nesta segunda-feira (5). Na quarta-feira (31), em entrevista ao 12 Em Ponto 98, Dias defendeu a implantação de medidas ainda mais rígidas no Estado.

“O “Pacto Pela Morte” que se firmou no RN na 6af foi um desastre. Aqui a análise dos resultados dos últimos decretos: Foram insuficiente. Em abril vamos aos 5200 óbitos na primeira quinzena. São +500 óbitos em 15 dias ao invés de 150. Avisamos: Abril será difícil”, escreveu.

Foto: Reprodução/ Twitter

Dias ainda comparou a medida do Governo do RN com a tomada pelo Ceará, que prorrogou um isolamento mais rígido no Estado até o dia 12 de abril, fechando todas as atividades não essenciais, como comércio, atividades culturais e lazer nas praias.

Ao 12 Em Ponto 98, o cientista explicou que a Covid funciona com efeitos coletivos e o Estado teve dois eventos importantes recentemente, e um deles foi uma passagem de um regime para outro, em torno do dia 5 de março, segundo ele, nesse momento foi feito uma medida restrita quando deveria ter sido aplicado um lockdown.

O decreto que começou a valer nesta segunda-feira (5) e vai até o dia 16 de abril permite o funcionamento do comércio com a frequência de pessoas a 50% da capacidade do espaço do estabelecimento ou ao limite máximo de uma pessoa por cada cinco metros quadrados. O horário de funcionamento é alternado, conforme proposta das federações empresariais. O decreto também flexibiliza o funcionamento de igrejas e academias, ambas só poderão funcionar das 6h às 20h. O documento também liberou as aulas presenciais até a 5ª série do ensino fundamental, e mantém as demais séries no sistema remoto.

Em dezembro de 2020, o professor alertou que estava se formando uma segunda onda da Covid-19 em pelo menos cinco estados do Nordeste: Rio Grande do Norte, Ceará, Paraíba, Sergipe e Bahia. A projeção feita por ele foi baseada nos dados públicos da doença.

 


Ler Anterior

Gás de cozinha tem novo aumento a partir desta segunda-feira

Ler Próximo

Estudo da Fiocruz indica a circulação de 92 cepas do coronavírus no Brasil