Servidores do Estado ameaçam ir à Justiça se Governo do RN insistir com plano que prioriza vacinação só de professores

Sindicato critica planejamento do governo estadual e defende que vacina seja disponibilizada para todos os trabalhadores da educação, inclusive da rede privada, não só para professores

Presidente do Sindicato dos Servidores da Administração Direta do Governo do Estado (Sinsp), Janeayre Souto – Foto: YouTube / Reprodução

A presidente do Sindicato dos Servidores da Administração Direta do Governo do Estado (Sinsp), Janeayre Souto, afirmou nesta quarta-feira (19) que a entidade vai ingressar com uma ação na Justiça se a gestão da governadora Fátima Bezerra (PT) colocar em prática um plano de vacinação contra a Covid-19 que prioriza professores em detrimento de outros servidores das escolas – como porteiros, ASGs e merendeiros.

Em entrevista ao programa “12 em Ponto 98”, da 98 FM Natal, a sindicalista criticou o planejamento do governo estadual e disse que a vacina deve ser disponibilizada para todos os trabalhadores da educação, inclusive da rede privada. A sugestão é que, se não houver doses suficientes para aplicar a vacina de uma vez, que seja feito um escalonamento considerando idade e possíveis comorbidades, mas não priorizando grupos profissionais.

“Nós do Sinsp estamos prontos com nossa ação. Caso tenha (a vacinação), vamos judicializar essa vacinação de um segmento em detrimento de outro. A vida dos servidores, dos professores, das escolas pública e privada, e dos servidores importam”, enfatizou Janeayre Souto.

A presidente do Sinsp afirmou que, ao buscar priorizar professores na vacinação, a governadora Fátima Bezerra age com corporativismo, já que ela é oriunda do movimento sindical dos educadores.

“Talvez o corporativismo tenha sido maior, como (ela, a governadora) foi corporativista quando deu 16,38% (de reajuste) para os procuradores, para os auditores (fiscais), delegados e 23% para a categoria dela, do magistério”, destacou a sindicalista.

Plano de vacinação

No início desta semana, o Governo do Estado anunciou um plano de vacinação para trabalhadores da educação como parte da estratégia para a retomada das aulas presenciais na rede pública.

O plano prevê que a imunização será em quatro etapas: inicialmente, para professores da rede pública; depois, para os demais trabalhadores das escolas na rede pública; depois, para professores da rede privada; e, por fim, para os demais trabalhadores das escolas na rede privada.

A ideia do governo estadual era começar a vacinação na próxima segunda-feira (24) utilizando parte do estoque de vacinas que estão guardadas como “reserva técnica”. Depois da repercussão negativa do plano, a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) informou ao PORTAL DA 98 FM que o início da imunização depende de uma “pactuação” entre Governo do Estado e Ministério Público.


Ler Anterior

Além de circos e parques, Prefeitura do Natal decide liberar também reabertura de cinemas e teatros

Ler Próximo

Covid-19: Butantan receberá lote de insumos menor que o esperado