Tribunal forma maioria e aprova impeachment de Witzel

Witzel é o primeiro de um mandatário estadual na Nova República a sofrer um impeachment. O governador não compareceu à sessão e foi representado por seus advogados

O governador Wilson Witzel teve o impeachment confirmad,. Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), teve o impeachment confirmado na tarde desta sexta-feira, 30, pelo Tribunal Misto que analisava o processo. Witzel é  acusado de corrupção na Saúde durante a pandemia, ele já estava afastado do cargo até o fim do ano por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Com a decisão-  Witzel é o primeiro de um mandatário estadual na Nova República a sofrer um impeachment. O governador não compareceu à sessão e foi representado por seus advogados.

Os cinco deputados e cinco desembargadores que compõem o colegiado ainda analisarão se ele terá os direitos políticos cassados por até cinco anos. Na votação sobre o impeachment, que continua em andamento, o resultado já teve os sete votos necessários para a derrota de Witzel – até aqui, ninguém votou pela absolvição.

As denúncias criminais que estão no STJ envolvem uma série de acusações de corrupção e lavagem de dinheiro – são, ao todo, quatro peças acusatórias -, o impeachment em si abarca atos que poderiam configurar crime de responsabilidade. São eles: a requalificação da empresa Unir Saúde para firmar contratos com o Estado, assinada por Witzel em março de 2020; e a contratação da Iabas para gerir os hospitais de campanha anunciados pelo governo no início da pandemia.

Com o fim da votação, o Tribunal produzirá o acórdão da sessão e notificará os envolvidos. Após esse trâmite burocrático, que deve ocorrer imediatamente, o interino Cláudio Castro será oficializado como governador. Há a previsão até de que ele possa ter uma cerimônia oficial de posse já no fim de semana.

*Com informações do Estadão


Ler Anterior

Governo do RN autoriza pagamento de diárias operacionais atrasadas e afasta risco de paralisação na PM

Ler Próximo

De saída da Globo, Faustão fecha com a Band e deve estrear até fevereiro