Turistas do Brasil não poderão entrar na Europa a partir de primeiro de julho

Continente quer reativar turismo, mas vai deixar de fora quem parte de locais onde a epidemia do coronavírus está descontrolada

Compartilhe esse post

A partir de quarta-feira (01/07), os brasileiros estarão proibidos de entrar em países que integram a União Europeia (UE). Estados Unidos e Rússia também estão entre as nações que não poderão visitar a Europa até que a pandemia de coronavírus esteja controlada.

A lista foi elaborada em reunião com embaixadores de 27 integrantes da UE e do espaço Schengen (que engloba Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça) na sexta-feira (26/06). A ideia é reativar o turismo da região, mas deixando de fora turistas que partem de locais onde a epidemia ainda é ativa.

A lista não é compulsória, ou seja, cada país pode ser soberano em sua decisão; e será atualizada a cada duas semanas.

Caso o número de casos diminua e a situação melhore em nacionalidades como Brasil, EUA e Rússia, moradores desses locais podem voltar a entrar na Europa. O único país latino-americano autorizado neste momento é o Uruguai.

Países com forte setor turístico, como Portugal e Grécia, são a favor de um relaxamento mais amplo, enquanto nações como a Dinamarca defendem regras rígidas.

Um critério para o ingresso livre é que o número de novos casos por 100 mil habitantes em duas semanas seja inferior a 16, que é o número médio de novas infecções nos países da UE no período de duas semanas, que se encerrou em 15 de junho.

Além disso, são consideradas a tendência de novas infecções, que deve ser de queda ou, no mínimo, estável, e a maneira como o país lidou com a pandemia.

Há duas semanas, a Comissão Europeia recomendou aos governos uma abertura gradual e conjunta das fronteiras a partir de 1º de julho. Cada governo pode decidir ele mesmo quem entra ou não no seu país, independentemente da lista da UE, mas a União Europeia busca uma ação consensual por causa da livre circulação dentro do bloco.

As restrições de viagens à UE estão em vigor desde meados de março e valem para todo o bloco, exceto a Irlanda, e para Noruega, Islândia, Suíça e Lichtenstein.

Fonte: Metrópoles


Compartilhe esse post

Ler Anterior

‘Artista não quer esmola’, diz secretário de Cultura Mário Frias

Ler Próximo

Trens urbanos de Natal não vão funcionar nesta segunda-feira (29)

Envie uma mensagem para o setor responsável.
WeCreativez WhatsApp Support
98 FM
Pedir Música
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Flávio Amorim
Comercial
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Sheyla
Vendas
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Vanessa
Vendas
Acessível
WeCreativez WhatsApp Support
Peça uma Pizza
Acessível