Alvo de hackers, Americanas e Submarino saem do ar novamente

Alvo de hackers, Americanas e Submarino saem do ar novamente - Foto: Pixabay
Alvo de hackers, Americanas e Submarino saem do ar novamente - Foto: Pixabay

As plataformas de vendas online Americanas e Submarino foram retiradas do ar novamente neste domingo (20.fev.2022). Os sites já haviam apresentado instabilidade no sábado (19.fev.2022) por causa de um suposto ataque hacker.

Em comunicado ao mercado, o grupo Americanas S.A. informou que “voltou a suspender proativamente parte dos servidores do ambiente de e-commerce na madrugada deste domingo (20.fev) e acionou prontamente seus protocolos de resposta assim que identificou acesso não autorizado”.

No sábado (19.fev), o grupo que controla Americanas e Submarino havia falado apenas em “risco de acesso não autorizado”.

Neste domingo (20.fev), no entanto, disse ter identificado “acesso não autorizado” e falou que avalia a “extensão do evento”. Além disso, a empresa disse que trabalha para restaurar os sites “o mais rápido possível”.

“A companhia atua com recursos técnicos e especialistas para avaliar a extensão do evento e normalizar com segurança o ambiente de e-commerce o mais rápido possível. A Companhia reitera que trabalha com rígidos protocolos para prevenir e mitigar riscos”, afirmou.

Por outro lado, as lojas físicas das Americanas não foram afetadas e permanecem operando, segundo a empresa.

Hacker

O grupo de hackers LAPSUS$ assumiu a autoria da invasão. O grupo disse que hackeou o ambiente de pagamentos da plataforma de vendas online por meio de mensagens publicadas na madrugada em seu canal do Telegram.

Eis o que disse o LAPSUS$: “round 2 Americanas” e “this time we hacked the PCI (payment) environment also (na tradução: desta vez, nós hackeamos o ambiente de pagamento também)” .

Este é o mesmo grupo hacker que afirmou ter invadido o sistema do Ministério da Saúde em dezembro de 2021. Na ocasião, o site do Ministério os portais Covid e ConecteSUS, que fornecem dados sobre a pandemia e a vacinação contra a covid-19, ficaram fora do ar.

Fonte: Poder 360