Auxílio Reconstrução: Famílias de Porto Alegre ficam sem benefício após prefeitura não mandar dados

Enchente atingiu Porto Alegre após cheia do Rio Guaíba - Foto: Gustavo Mansur / Governo do RS
Enchente atingiu Porto Alegre após cheia do Rio Guaíba - Foto: Gustavo Mansur / Governo do RS

Porto Alegre não teve nenhuma família habilitada para receber os R$ 5,1 mil do Auxílio Reconstrução no primeiro lote de pagamento, liberado na segunda-feira (27), apesar de ter mais de 150 mil habitantes atingidos pelos temporais que assolaram o Rio Grande do Sul.

O motivo, segundo o Ministério Extraordinário da Reconstrução, é que a prefeitura não enviou ao governo federal os dados necessários da população atingida. Além disso, informou que o benefício já foi aprovado para 44,5 mil famílias de 15 cidades do RS.

De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Porto Alegre, os servidores da pasta trabalham para organizar os dados obtidos junto à população e prevê o envio ao governo federal até esta terça-feira (28). Devem repassar informações de cerca de 20 mil beneficiários nesta primeira etapa.

Em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, onde a água avançou sobre 60% do perímetro urbano expulsando de casa mais de 180 mil pessoas, houve o cadastro de 68 mil famílias candidatas ao benefício, sendo que 42 mil já tiveram o pagamento aprovado.

O benefício

O governo federal criou o benefício, pago em parcela única via PIX, para socorrer as famílias que perderam bens pessoais e renda em razão das chuvas históricas no estado.

O cadastro da prefeitura é a primeira etapa para que o pagamento do benefício ocorra. Depois, os dados são conferidos pelo governo federal. Com o pagamento autorizado, o responsável pela família a receber o benefício precisa confirmar a solicitação pela internet.

Para colher as informações dos atingidos, a prefeitura da Capital criou o Registro Unificado, que pode ser acessado pela internet. Quem ainda não se registrou, pode se cadastrar.