Estudo pretende fechar retornos na avenida Engenheiro Roberto Freire

Fonte: Tribuna do Norte

Ao longo de toda a semana, o Comando de Polícia Rodoviária Estadual (CPRE), juntamente com o Departamento Estadual de Trânsito, a Secretaria Municipal de Mobilidade e o Departamento Estadual de Estradas e Rodagens, devem continuar os testes de alteração de fluxo de trânsito na avenida Engenheiro Roberto Freire. Os testes, iniciados na última quarta-feira (15), têm como objetivo avaliar possíveis mudanças a serem implementadas para reduzir o congestionamento na avenida durante os horários de pico.

A princípio, a mudança está sendo testada em dois locais: o retorno em frente ao Armazém Pará, que dá acesso à rua Dr. Sólon de Miranda Galvão, e o retorno em frente à Uni-Nassau. O trabalho vai ser realizado das 6h30 às 9h, horários de maior trânsito no local no sentido Ponta Negra – Centro. 

Os dois retornos foram fechados e, no lado oposto da pista, foram colocados cones para que os motoristas respeitem a faixa da direita na hora de fazer a conversão para a rua Sólon de Miranda Galvão, que dá acesso à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). 

De acordo com Manoel Marques, diretor do DER, as mudanças ainda não são definitivas, e fazem parte de uma série de estudos que estão sendo feitos em conjunto pelos órgãos de trânsito para tentar melhorar a situação da avenida enquanto mudanças estruturais não são feitas. 

Um dos fatores que terá de ser considerado antes de efetuar a mudança, no entanto, é o percurso do ônibus da linha 30, que faz o retorno para ter acesso ao campus universitário. O diretor do DER afirma que uma das possibilidades consideradas é a instalação de um semáforo com sensor no local, que permitiria apenas a passagem dos ônibus. 

“A ideia é ali ficar restrito para ônibus usando um equipamento que é um sensor de aproximação. Quando o ônibus se aproxima do sinal, ele abre”, diz Manoel. Outra alternativa em estudo, de acordo com ele, é recuar o sinal que fica no local do retorno. “Outra questão é que aquele sinal não tem faixa de pedestre, então vamos colocar pelo menos algo ali para dar segurança às pessoas que andam na área”, afirma. 

Caso a mudança seja implementada, o acesso à Roberto Freire pelas pessoas do bairro de Capim Macio à Roberto Freire seja exclusivamente através dos semáforos, e não dos retornos. A avenida Walter Fernandes, por exemplo, entre o supermercado Favorito ou Pague Menos, pode virar mão única para melhorar o fluxo no sinal em frente à faculdade Uni-Nassau. 

De acordo com o comandante do CPRE, o coronel Silva Júnior, a retirada de retornos é uma medida que costuma ser vista com desagrado pela população a princípio mas que, considerando a quantidade de carros que transita na avenida nos horários de pico, é uma das alternativas viáveis para melhorar o fluxo na região. 

“Isso é algo que acontece não apenas aqui, mas em quase todas as capitais do Brasil que vem vivendo um aumento no número de carros que circulam nas ruas todos os dias. Esse aumento, somado ao fato de que muitos dos motoristas não respeitam o trânsito, acaba gerando não apenas congestionamentos como acidentes nesses retornos”, afirma o coronel. 

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com