Fraudadores do INSS ganham aposentadoria com RG e certidão falsos

Fonte: Uol
A falsificação de documentos, sobretudo registro de identidade e civil, é a principal fraude cometida contra a Previdência Social no Brasil. Nos últimos cinco anos, este golpe ocupou metade do esforço investigativo da Força-Tarefa Previdenciária (FTP).
Das 429 operações realizadas pela FTP, uma força-conjunta entre Secretaria de Previdência, Polícia Federal e Ministério Público, desde 2013, cerca de 215 se deram na investigação de quadrilhas que fraudavam documentos de identificação.
“A falsificação de RG e registro civil [certidão de nascimento ou casamento] atingiu proporções preocupantes. Não há, hoje, um método seguro de identificação do cidadão, como biometria, por parte do poder público”, afirmou Marcelo Henrique de Ávila, coordenador-geral da Coinp (Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária).
“Fica muito difícil para o servidor que trabalha nas unidades do INSS [Instituto Nacional do Seguro Social] identificar se aquele documento, às vezes muito bem elaborado, é falsificado”, disse Ávila. “Muitas vezes ele é levado ao erro.”
A falsificação de documentos básicos, tal qual o de identificação, também serve como base para a articulação de golpes maiores, como a criação de beneficiários-fantasma.
Só no ano passado, a FTP prendeu 135 pessoas envolvidas em fraudes previdenciárias. Ao todo, a Secretaria da Previdência estima que economizou quase R$ 464 milhões em fraudes descobertas.
 

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com