Megaoperação da PF procura mais de 200 foragidos e condenados por atos golpistas de 8 de janeiro

Atos golpistas de 8 de janeiro, com depredação das sedes dos Três Poderes - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Atos golpistas de 8 de janeiro, com depredação das sedes dos Três Poderes - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A Polícia Federal abriu nesta quinta-feira (6) uma operação para capturar mais de 200 foragidos, investigados e condenados da Operação Lesa Pátria – investigação sobre os executores, incitadores e financiadores dos atos golpistas de 8 de janeiro de 2023. Até a última atualização desse texto, já foram capturados 45 investigados.

A ofensiva mira réus que “deliberadamente” descumpriram medidas cautelares, como quebra de tornozeleira eletrônica, mudança de endereço sem avisar a Justiça ou até com risco de fuga.

Outros foram condenados e não se apresentaram para o cumprimento da pena, até fugindo para outros países, “com o objetivo de se furtarem da aplicação da lei penal”.

Os alvos que ainda são investigados – ainda respondem ao processo no Supremo Tribunal Federal (STF) – e descumpriram medidas cautelares não são considerados foragidos. Tecnicamente, uma pessoa é considerada foragida a partir do momento em que há uma mandado de prisão contra ela e a mesma não se apresenta à Justiça ou não é encontrada.

Agentes saíram às ruas para cumprir, ao todo, 208 mandados de prisão preventiva expedidos pelo STF contra investigados e condenados. As diligências são realizadas em 18 estados e no Distrito Federal.

As prisões cumpridas até às 11h30 desta quinta foram realizadas em São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Paraná e no Distrito Federal.

A ofensiva apura supostos crimes de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido.