Assista ao vivo

Sesap confirma três mortes em 2019 devido a Influenza

Fonte: Tribuna do Norte

Três pessoas morreram no Rio Grande do Norte vítimas de Influenza em 2019. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN. Ao todo, a Sesap confirmou que o Estado teve 24 notificações de Influenza no ano. 

Segundo a Sesap, os casos foram registrados em abril deste ano: uma criança de 9 anos morreu em Santa Cruz, região Trairi, um idoso de 74 anos em Jardim do Seridó e um homem de 45 anos em Santana do Matos.

A efeito de comparação, em 2018, no Rio Grande do Norte foram notificados 295 casos de  Síndrome respiratória Aguda Grave (SRAG), desses 84 foram confirmados para Influenza, com ocorrência de 15 óbitos.

Vacina 
Enquanto a média brasileira de cobertura vacinal contra a gripe está em 8,36%, a média do Nordeste é de 6,39% de cobertura e no Rio Grande do Norte, 66.084 pessoas foram imunizadas, 7,66% do total esperado. O estado está em 11º lugar dentre os estados brasileiros, e em 4º do Nordeste com maior quantidade de pessoas imunizadas.

De acordo com a coordenadora estadual de imunização, Katiúcia Roseli, os baixos números já eram esperados nessa primeira fase de campanha, que contemplava apenas crianças até cinco anos de idade, grávidas e puérperas. “Nós estamos em 11º no país, o que pode parecer baixo, mas não está muito distante da média nacional, e a expectativa para essa primeira fase da campanha, por contemplar poucos grupos, era próxima a isso”, afirma. O estado aplicou 10.133 doses da vacina até o último dia 19, o que equivale a 4,9% da expectativa para município. 

Na segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação, que teve início na última segunda-feira (22), novos grupos prioritários passaram a ser habilitados para receber a vacina. Agora, idosos, professores de escolas públicas e privadas, trabalhadores de saúde, indígenas, pessoas com condições clínicas especiais, funcionários do sistema prisional e pessoas cumprindo pena em privação de liberdade também estão aptas a receber a dose.

Enquanto o estado tem a responsabilidade de distribuir as doses enviadas pelo Governo Federal, cabe aos municípios aplicar as vacinas e, também, adotar estratégias para garantir com que a população passe a aderir à campanha. 

“Cada município, de acordo com sua realidade, adota as melhores estratégias para divulgação e adesão à campanha, enquanto ao Estado cabe a distribuição das doses. Entretanto, estamos utilizando os recursos possíveis tanto através da mídia como das redes sociais para divulgar a campanha e fazer um apelo para que as pessoas se vacinem”, afirma. A campanha segue até o dia 31 de maio, e a expectativa é que ao menos 90% dos grupos prioritários se apresentem nos postos de saúde para receber a vacina. 

Esse ano, a dose utilizada teve alterações em duas das três cepas. Ela protege contra os três subtipos do vírus da gripe que, em 2018, circularam no Hemisfério Sul. O subtipo predominante identificado no Brasil até o momento, e que já provocou 47 óbitos em 2019, é o H1N1. Ao todo, 192 casos foram registrados da doença no país. 

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com