Ministra do Turismo fez campanha ao lado de ex-PM condenado por homicídio e acusado de ser miliciano

Nova ministra do Turismo, Daniela Carneiro, do União Brasil, fez campanha, em 2018, ao lado de um miliciano condenado por homicídio. Foto: Reprodução

A nova ministra do Turismo, Daniela Carneiro, do União Brasil, fez campanha, em 2018, ao lado de um ex-PM acusado de ser miliciano e condenado por homicídio, no Rio.

Daniela Carneiro disputava uma vaga para a Câmara dos Deputados, pelo MDB. Ela aparece, em fotos, ao lado de Juracy Alves Prudêncio, ex-sargento militar apontado como chefe de uma milícia acusada de vários assassinatos em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

Juracy aparece em vídeos trabalhando como cabo eleitoral de Daniela.

Ele foi condenado a 26 anos de prisão e estava preso desde 2009. Em 2017, Juracy passou para o regime semiaberto e começou a trabalhar na prefeitura da cidade, onde o prefeito era Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, marido de Daniela.

Jura, apontado como chefe do chamado “Bonde do Jura”, estava nas ruas em 2018 após ser nomeado, em junho de 2017, como assessor de uma secretaria da Prefeitura de Belford Roxo, comandada por Waguinho. O emprego lhe garantiu o benefício de trabalhar fora da cadeia, lembra o jornal. A Justiça, porém, suspendeu a autorização de trabalho em janeiro de 2020 após identificar possíveis irregularidades na atuação do ex-PM na prefeitura.

Waguinho foi um dos principais aliados de Lula no estado do Rio na campanha presidencial, em 2022.

Após a repercussão do caso do trabalho dele na prefeitura, Juracy voltou para a cadeia.

Em entrevista ao portal UOL, o ministro da Justiça, Flávio Dino, disse que não há elementos para afirmar que uma foto comprove a ligação com a milícia. Disse ainda que a ministra vai prestar esclarecimentos.

A assessoria de Daniela informou que ela recebeu apoio em diversos municípios na campanha de 2018 e que isso não significa que compactue com qualquer apoiador que tenha cometido ato ilícito.

Fonte: g1