Nove cachorros morrem após comer suposto petisco contaminado

A Polícia Civil investiga a morte de cachorros com suspeita de contaminação após comerem petiscos caninos da empresa Bassar. Nesta quinta-feira (1°), subiu para nove o número de casos suspeitos, todos envolvendo animais de pequeno porte.

A delegada responsável pelo caso, Danúbia Quadros, afirmou que entre os casos sob investigação, seis estão em Belo Horizonte e dois no estado de Goiás.

A perícia da Polícia Civil de Minas Gerais recebeu amostras de petiscos caninos, depois que os tutores de pelo menos oito cães denunciaram que os animais começaram a passar mal, depois de ingerir o produto. Até o dia 30 de agosto, quatro mortes e cinco internações estavam sob investigação.

Segundo um laudo preliminar feito por veterinários da UFMG em um dos animais, o exame de necropsia identificou lesões renais graves, associadas a alterações clínicas e metabólicas que causaram a morte. Neste primeiro relatório, os veterinários indicaram intoxicação por etilenoglicol. Entretanto, a investigação não pode afirmar que os outros animais mortos também foram contaminados pela substância.

Segundo informações da delegada responsável pelo caso, os animais apresentaram cansaço repentino, desconforto abdominal, diarreia, vômito e convulsões. A Polícia pede que os tutores que tenham identificado o mal-estar ou precisem internar os animais depois da ingestão de petiscos, informe a corporação para a investigação.

Os petiscos identificados até o momento são: o Dental Care e Every Day. A outra embalagem informada pela polícia é a Petz Snack Cuidado Oral. Todos são de fabricação da empresa Bassar.

Petiscos com suspeita de intoxicação. Foto: Reprodução

A empresa responsável pelos petiscos foi notificada pela Polícia Civil através de uma carta precatória, para prestar esclarecimentos. A produção dos petiscos é realizada em uma fábrica na cidade de São Paulo, e seus responsáveis terão que informar detalhes do processo de produção e os produtos utilizados na composição dos alimentos caninos.

O que diz a fabricante:
A Bassar Pet Food informa que enviou os produtos citados para análise no laboratório no Centro de Qualidade Analítica, cujo resultado deve ser divulgado nos próximos dias. Por precaução, a companhia iniciou a retirada do mercado do lote 3554 do produto Everyday.

A empresa informa que vem tomando todas as providências para esclarecimento do fato desde o dia em que recebeu o primeiro relato de possível intoxicação. A Bassar reforça que não há nenhum laudo conclusivo sobre a causa das mortes dos cães e está segura da excelência e da segurança de seus processos de fabricação.

Funcionários do Ministério da Agricultura realizaram inspeção na empresa em diferentes ocasiões nos últimos dias e atestaram que a fábrica atende a todos as normas de segurança alimentar e de produção. Os laudos do MAPA comprovam ainda que não há contaminação na linha de produção.

A companhia não utiliza e nunca utilizou o etilenoglicol na fabricação de nenhum de seus produtos. O propilenoglicol utilizado é um aditivo alimentar presente em alimentos humanos e animal em todo o mundo. A Bassar adquire esses insumos de empresas idôneas e devidamente registradas no MAPA.

Em seus 5 anos de história, a Bassar Pet Food jamais passou por situação semelhante, se solidariza com a dor dos tutores e reforça a confiança nos processos de fabricação, além de reiterar que preza pela qualidade de seus produtos e pelo bem-estar e satisfação de seus clientes.

O que diz a distribuidora:
Imediatamente, quando do fato noticiado, envolvendo o produto SNACK EVERY DAY SABOR FIGADO da marca Bassar (fabricante e distribuidor) acerca de casos de intoxicação, o Grupo Petz retirou voluntariamente os produtos dos pontos de vendas da rede, notificando a empresa Bassar para ciência e providências, bem como colocou-se prontamente à disposição para colaborar com apuração dos fatos. A Petz informa ainda que retirou preventivamente das lojas um outro produto – o Snack Cuidado Oral – Hálito Fresco, para análise.

Procurada pelas autoridades, o Grupo Petz reitera estar acompanhando e colaborando com as apurações dos órgãos competentes e aguardando os esclarecimentos do fabricante, que por sua vez aguarda análises técnicas de órgãos reguladores para o tipo de produto.

O que diz o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento:
O Ministério da Agricultura confirmou que recebeu denúncia e investiga o caso.

Fonte: G1