Potiguar apontado como um dos 10 criminosos mais procurados do RN é preso com documentos falsos no Peru

Ação da PF ocorreu nesta quarta-feira (8) - Foto: PF / Reprodução
Potiguar apontado como um dos 10 criminosos mais procurados do RN é preso com documentos falsos no Peru - Foto: PF / Reprodução

Um potiguar foragido da Justiça, condenado a mais de 32 anos de pena, foi preso no último sábado (25) no Peru, segundo informou a Polícia Federal.

De acordo com a PF, o homem era um dos dez criminosos mais procurados do Rio Grande do Norte, tinha o nome incluído na difusão vermelha da Interpol e estava escondido na cidade de Pucallpa, no Peru. Apesar disso, a corporação não informou a identidade do preso.

A prisão foi realizada por meio de uma ação de cooperação entre a Força Integrada de Combate ao Crime Organizado do Rio Grande do Norte (Ficco), a policial internacional e a Polícia Nacional Peruana (PNP).

A inclusão do nome do preso na Difusão Vermelha da Interpol foi decorrente de representação policial no bojo da Operação Pélagos, na qual foi denunciado pelos crimes de associação para o tráfico de drogas e por integrar o comando de organização criminosa armada“, informou a PF.

O homem foi preso pela Polícia Nacional Peruana (PNP), que inicialmente o deteve em flagrante por três tentativas de homicídio, e por ter realizado vários disparos de arma em via pública.

No entanto, a Força Integrada do Rio Grande do Norte suspeitou do uso de documentos de identidade falsa na ocorrência e, após investigação, confirmou a verdadeira identidade do foragido.

O preso já tinha realizado fugas do Centro de Detenção Provisória no Rio Grande do Norte em 2008 e de um presídio de segurança máxima da Paraíba em 2018, inclusive com utilização de explosivos.

“Além da difusão vermelha, existem ainda dois mandados de prisão pendentes de cumprimento em seu desfavor emitidos pela 3ª Vara da Comarca de Macaíba/RN e pela Vara de Execução Penal de João Pessoa/PB”, informou a PF.

Segundo a PF, será iniciado um processo de extradição, que pode ser condicionado ao cumprimento de pena no Peru, já que ele também cometeu crimes no país.

Fonte: g1 RN