Taveira diz que Carol Pires entregou cargos e que está aguardando decisão de Kátia sobre sucessão

Prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira (Republicanos) - Foto: Tiago Rebolo / 98 FM
Prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira (Republicanos) - Foto: Tiago Rebolo / 98 FM

O prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira (Republicanos), afirmou à 98 FM que os cargos indicados pela vereadora Carol Pires (União Brasil) foram exonerados nesta terça-feira (21) a pedido da própria parlamentar.

Segundo o prefeito, a vereadora “pediu faz tempo” para que os cargos fossem exonerados, mas que só agora ele decidiu demitir os funcionários.

Além dos cargos de Carol, Taveira também demitiu funcionários indicados pela vice-prefeita Kátia Pires (União Brasil), mãe da vereadora. Sobre os cargos da vice, Taveira disse o seguinte: “Aguardando ela tomar uma posição. Pode ser que ela resolva ficar”.

Procurada, Kátia Pires negou que seu grupo político tenha pedido as exonerações e que não faria sentido que o movimento fosse unilateral de Carol Pires.

Ao todo, foram 6 exonerações de cargos publicadas nesta terça-feira. Porém, segundo a assessoria de Kátia Pires, o número de cargos demitidos é maior porque outras demissões vêm sendo publicadas nos últimos dias.

A exoneração em massa ocorre no momento em que Kátia Pires mantém sua pré-candidatura a prefeita, apesar de Taveira já ter anunciado que vai apoiar o comunicador Salatiel de Souza (PL) na sucessão municipal.

Em entrevista à 98 FM no início do mês, Kátia se disse “anticorrupção” e declarou que apoiar Salatiel iria contra seus princípios.

Agripino classifica exonerações como “ato de hostilidade”

À 98 FM, o ex-senador José Agripino Maia, líder do União Brasil no Rio Grande do Norte, classificou como “ato de hostilidade” a decisão do prefeito de exonerar os cargos de Kátia e Carol Pires.

“Eu acho que Kátia, com esse gesto de hostilidade, está sendo expulsa do convívio do prefeito. Ela fica expulsa. Eu lamento que esse fato tenha ocorrido. Ela está contingenciada por esse ato de hostilidade”, afirmou Agripino, à 98 FM.

O líder do União Brasil disse que Kátia tem autonomia para conduzir os rumos do partido em Parnamirim, por ser presidente eleita do diretório municipal. Ele afirmou que faz sugestões, mas que Kátia é que define qual o caminho da sigla na cidade.