[VÍDEO] Padre dá puxão em bebê em batizado e revolta família: “Acabou com nosso dia”

Nas imagens, a Jhullie chorava no colo da mãe, Juliane, que tentava manter a bebê na direção da pia batismal. Foto: Reprodução
Nas imagens, a Jhullie chorava no colo da mãe, Juliane, que tentava manter a bebê na direção da pia batismal. Foto: Reprodução

O padre Ricardo Pinheiro da Silva Schueller causou revolta após dar um puxão na cabeça de um bebê para realizar a cerimônia de batismo. O caso ocorreu na Paróquia de São Sebastião, em São Sebastião do Alto, na Região Serrana do Rio de Janeiro, no último sábado (25).

Nas imagens, a Jhullie chorava no colo da mãe, Juliane, que tentava manter a bebê na direção da pia batismal. Em seguida, o padre dá o puxão para concluir o batismo. A mãe, descontente com o comportamento, afasta Jhullie.

“Nós estamos revoltados, nos sentindo impotentes, não entendemos como alguém que era para ser o representante da palavra pode agir assim com um ser tão inocente. Quero justiça! Isso não pode ficar impune”, afirmou a mãe ao g1.

Juliane relatou que a filha estava doente; por isso, ficou agitada. Mesmo com o desconforto, a família atendeu o pedido de tirar uma foto com o padre após a cerimônia.

A família contou que o registro feito por uma convidada foi publicado nas redes não apenas para compartilhar a indignação, mas para que o comportamento não se repetisse.

“Ele acabou com nosso dia. Mas Deus é tão bom que o vídeo postado teve milhares de visualizações, e todo esse apoio que estamos tendo nas redes sociais vai ajudar muito para que a justiça seja feita”, comentou a tia, Symone, que também aparece no vídeo.

A Diocese de Nova Friburgo informou que “as autoridades diocesanas estão a par da situação e tomando as devidas providências”. Nas redes sociais, o padre pediu perdão pelo ocorrido, nesse domingo (26).

“Caríssimos irmãos! Movido pelo espírito de Concórdia e de paz, quero pedir perdão a todos os que se sentiram entristecidos por minha atitude no dia de ontem, 25/5, na paróquia de São Sebastião. Reconheço minha falta de caridade com a família, a criança e os convidados. Ao término do batismo, a família entrou em contato comigo na sacristia. Pude pedir perdão pelo ocorrido, embora não tenha sido intencional. Dom Luiz, nosso bispo, conversou comigo e passou suas orientações e correções. Conto com a compreensão e orações de todos! A vida é um aprendizado e em todas as ocasiões Deus quer nos santificar e nos purificar. O zelo pelos sacramentos deve estar acompanhado pelo espírito da caridade fraterna e solidária. Que Deus nos abençoe! Pe. Ricardo Pinheiro da Silva Schueller, administrador paroquial”.

Fonte: Metrópoles