[VÍDEO] Sessão de vetos foi “submissão” e “capachismo” da Assembleia ao Governo Fátima, diz Coronel Azevedo

Deputado estadual Coronel Azevedo (PL) - Foto: Eduardo Maia / ALRN
Deputado estadual Coronel Azevedo (PL) - Foto: Eduardo Maia / ALRN

O deputado estadual Coronel Azevedo (PL) afirmou que a polêmica sessão extraordinária para análise de vetos, realizada nesta terça-feira (4), foi um ato de “submissão” da Assembleia Legislativa ao Governo Fátima Bezerra. O parlamentar é um dos que pedem a anulação da sessão, sob o argumento de que a convocação foi irregular.

“Ontem, o Parlamento potiguar protagonizou um ato vergonhoso, vexatório, um ato de submissão, de capachismo ao governo do PT. Rasgaram literalmente o Regimento Interno, desobedeceram a legislação desta Casa, para promover a apreciação de vetos”, afirmou Azevedo, em pronunciamento na Assembleia nesta quarta-feira (5).

Ele disse que a análise dos vetos aconteceu “ao arrepio da lei”. E ainda fez uma crítica ao presidente da Assembleia, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB).

“Eu não sei se o presidente deputado Ezequiel realizou, presidiu esta sessão de maneira equivocada, se foi levado ao erro. Porque eu não quero crer que foi de má-fé. Não se pode fazer isso com o povo potiguar. Isso é um vexame, uma vergonha para a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte”, declarou o deputado.

Segundo Azevedo, além de não ter sido convocada da forma correta, a sessão extraordinária deve ser anulada porque não houve parecer das comissões para os projetos nem defesa dos deputados interessados na derrubada dos vetos da governadora. “O Rio Grande do Norte protagonizou o vexame do Parlamento brasileiro. Vergonha, vergonha”, declarou.