Vereadores presos na Operação Dízimo reassumem mandatos em Parnamirim após 30 dias de afastamento

Vereadores Professor Ítalo (PSDB) e Rhalessa de Clênio (PTB) retornam aos mandatos nesta segunda-feira (19) – Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Parnamirim, na Grande Natal, convocou os vereadores Professor Ítalo (PSD) e Rhalessa de Clênio (PTB) para reassumirem os mandatos na Casa. Os dois estavam afastados desde 18 de junho, por ordem da Justiça, quando também foram presos na “Operação Dízimo”. Eles foram liberados no dia seguinte, após serem beneficiados com um habeas corpus, mas precisaram ficar afastados dos mandatos por um mês.

O retorno aos mandatos de Ítalo e Rhalessa foi determinado nesta segunda-feira (19) pelo presidente da Câmara, vereador Wolney França (PSC), em ato publicado no Diário Oficial do Município.

Com a volta de Rhalessa, o vereador Dr. Zico (PTB) – que havia sido empossado temporariamente no cargo – volta para a 1ª suplência do partido. No caso do afastamento de Professor Ítalo, não houve convocação de suplente porque, antes da chamada do suplente, a Justiça diminuiu o período de afastamento (que inicialmente era de 180 dias), dispensando a chamada de um substituto.

Deflagrada no dia 18 de junho pelo Ministério Público Estadual, a Operação Dízimo tem como objetivo investigar a possível ocorrência de crimes de falsidade ideológica eleitoral, lavagem de dinheiro, peculato e associação criminosa na cidade de Parnamirim durante as eleições de 2020.

Ao todo, a operação Dízimo cumpriu 10 mandados de busca e apreensão e 5 mandados de prisão temporária. Além dos vereadores, foram presos três pastores: Alex Nunes, ex-vereador, Sandoval Gonçalves e Danilo Peixoto. Esses três também já foram liberados.


Ler Anterior

Série D: Chance de Gol e as probabilidades de classificação para segunda fase

Ler Próximo

Manifestantes pró-voto impresso negam agressão e dizem que aluno da UFRN foi só imobilizado após bater em participante e arrancar bandeiras