Caso Brenda: Polícia procura mais dois suspeitos de integrar grupo de extermínio no RN e aponta PM como líder

Homens são procurados por envolvimento em grupo de extermínio com atuação no RN - Foto: Reprodução
Homens são procurados por envolvimento em grupo de extermínio com atuação no RN - Foto: Reprodução

A Polícia Civil deflagrou nesta quarta-feira (19) a 2ª fase da Operação Jus Puniendi, que investiga suspeitos de integrar um grupo de extermínio com atuação no Rio Grande do Norte. Mandados foram cumpridos na cidade de São José de Mipibu, na Grande Natal.

Segundo as investigações, o grupo tem a liderança do policial militar Luiz Carlos Alexandre, conhecido como Luiz Neguinho. Ele está preso desde 30 de abril suspeito de envolvimento na morte da advogada Brenda Oliveira e do cliente Janielson Nunes de Lima – crime que aconteceu em janeiro deste ano, a poucos metros de uma delegacia em Santo Antônio.

A polícia afirma que Luiz Neguinho e outros dois suspeitos que foram presos junto com ele em 30 de abril também mataram um outro homem, identificado como Alexandre Inácio do Nascimento, de 27 anos. Este último crime aconteceu no dia 22 de abril em uma casa de São José de Mipibu.

Os dois comparsas, que estão presos junto com o PM, foram identificados como João Vitor Alexandre da Silva e José Emmiliano Barbosa. Nesta quarta-feira, novos mandados de prisão foram expedidos contra os dois e também contra o PM.

Foragidos

Ao todo, a operação desta quarta-feira tem cinco alvos. Outros dois suspeitos de integrar o grupo de extermínio são procurados pela Polícia Civil. São eles:

  • Mateus Elias da Rocha, de 28 anos;
  • Walacy Santos de Sales, conhecido como Lalá, de 36 anos.

PM era articulador do grupo, diz polícia

A Polícia Civil afirma que o principal articulador do grupo é o policial militar Luiz Carlos Alexandre, que era lotado na região. Ele seria responsável pela logística de fornecimento de armamento, participando ativamente como executor.

Durante o cumprimento das buscas, Mateus Elias da Rocha, de 28 anos, conseguiu fugir para uma área de mata. Em sua casa, foi apreendida uma pistola .40, um rifle cal. 38, uma espingarda e munições de 380, .40 e 38. Mateus e Walacy Santos de Sales, vulgo “Lála”, 36 anos, seguem foragidos.

Um homem que estava na residência foi detido por posse irregular de arma de fogo e munições.

Material apreendido na casa de um dos foragidos na operação desta quarta-feira (19) – Foto: Reprodução

Morte de advogada

O delegado Márcio Lemos, diretor da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), diz que a morte da advogada e do cliente foi motivado por vingança. O crime teria sido articulado por familiares e vaqueiros amigos de João Victor Bento da Costa, de 19 anos, assassinado a tiros no dia 28 de janeiro, durante uma vaquejada no Parque Maria Salete, em Santo Antônio.

Janielson Nunes de Lima era o principal suspeito pela morte do vaqueiro e era o alvo dos criminosos. Brenda acabou morta porque estava junto com ele.