Irmãos Brazão prometeram terreno e comando de milícia para Ronnie Lessa

Ronnie Lessa preso
Irmãos Brazão prometeram terreno e comando de milícia para Ronnie Lessa - Foto: Reprodução

A contrapartida para a proposta dos irmãos Brazão, de matar a vereadora Marielle Franco ‘em pleno exercício de seu mandato’ era um loteamento nas imediações da Rua Comandante Luís Souto, Tanque, Rio de Janeiro. A promessa de recompensa pelo homicídio foi detalhada pelo ex-PM Ronnie Lessa, que ainda apontou à Polícia Federal o ‘maior atrativo da iniciativa’: ‘a exploração dos serviços típicos de milícia decorrentes da ocupação dos loteamentos, como exploração de “gatonet”, gás, transporte alternativo’. Segundo os investigadores.

Os detalhes constam do relatório da Polícia Federal que resultou na prisão dos irmãos Brazão neste domingo, 24, assim como a detenção do ex-chefe de Polícia Civil do Rio Rivaldo Barbosa. Segundo a corporação, a ‘torpeza’ das condutas dos executores de Marielle e Anderson está diretamente ligada à promessa de recompensa: ‘a implementação e o comando de um grupo paramilitar em uma grande extensão de terras vinculada à família Brazão’.

Ainda de acordo com o delator, a implementação da infraestrutura e urbanização da área seria de responsabilidade do empreiteiro Major Ronald, que realizava construções irregulares em áreas de milícia.

Segundo a PF, Lessa queria ‘uma área para chamar de sua e explorá-la economicamente sem ter que abaixar a cabeça para outras lideranças. Apesar de atuar em atividades de milícia há pelo menos dez anos, o delator ‘não tinha um reduto onde pudesse dar as cartas’.

“A promessa de recompensa materializada pelos Irmãos Brazão era a oportunidade que ele precisava para colocar isso em prática. Ademais, essa sanha para ser alçado ao patamar do Capitão Adriano se alastrou para a tentativa de tentar se consolidar no cenário da contravenção carioca, oportunidade na qual se reaproximou de Rogério de Andrade, notório contraventor da Zona Oeste do Rio”.

Fonte: Estadão